Tempo
|
A+ / A-

Instituições de Braga fazem a pé caminho de Santiago para recolher fundos

14 set, 2021 - 08:11 • Olímpia Mairos

Qualquer pessoa ou empresa poder contribuir, através de uma campanha de ‘crowdfunding’, “adquirindo quilómetros, com a doação de valores múltiplos de dez”.

A+ / A-

Quatro instituições de Braga, que desenvolvem trabalhos na área social, estão a realizar o caminho a pé até Santiago de Compostela, para angariarem fundos para projetos sociais.

“Promover uma caminhada movida pela saúde e a solidariedade. Com esta iniciativa, pretende-se angariar fundos para projetos sociais das entidades envolvidas e interagir com outras instituições, organismos e públicos ligados à economia social”, explicam os promotores.

A iniciativa, que junta a Cáritas Arquidiocesana de Braga, a Cruz Vermelha Portuguesa Braga, a Bogalha, e a Cerci Braga apela, por isso, à generosidade de cidadãos e empresas, através de uma campanha de ‘crowdfunding’: ajude a caminhar rumo ao impacto positivo.

De acordo com as quatro instituições, “os cidadãos e empresas poderão adquirir quilómetros com a doação de valores múltiplos de dez (uma unidade). Os quilómetros integrarão um resultado final que, após a recolha, será distribuído igualmente pelas instituições intervenientes”.

Os fundos recolhidos serão distribuídos pelas quatro instituições e já têm um destino específico.

Assim, a Cáritas irá transformar o valor angariado em vales de apoio alimentar, que vão dos cinco aos 50 euros, para famílias com carências socioeconómicas.

A Bogalha pretende adquirir um autocarro e a Cerci Braga uma nova viatura para transporte dos seus utentes.

Já a Cruz Vermelha vai destinar o valor angariado ao apadrinhamento das residências de acolhimento para pessoas sem-abrigo, nomeadamente através da compra de vários eletrodomésticos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+