Tempo
|
A+ / A-

Encontro mundial das famílias passa a ser “multicêntrico e disseminado”

02 jul, 2021 - 12:32 • Aura Miguel

“Após o adiamento de um ano, por causa da pandemia, o desejo de nos revermos é grande”, diz o Papa num vídeo divulgado esta sexta-feira. O evento passa a alargar-se às dioceses do mundo inteiro.

A+ / A-

O próximo Encontro Mundial das Famílias agendado para Roma, em junho de 2022, com o tema “O Amor em família: vocação e caminho de santidade”, vai assumir uma nova modalidade.

“Após o adiamento de um ano, por causa da pandemia, o desejo de nos revermos é grande”, diz o Papa num vídeo divulgado esta sexta-feira. “Desta vez, porém, realizar-se-á com uma fórmula inédita: será uma oportunidade da Providência para proporcionar um evento mundial capaz de envolver todas as famílias que quiserem sentir-se parte da comunidade eclesial”.

Francisco anuncia que este encontro mundial “terá uma modalidade multicêntrica e disseminada, favorecendo a participação das comunidades diocesanas do mundo inteiro” e que “Roma será a sede principal, com alguns delegados da Pastoral familiar que participarão no Festival das Famílias, do Congresso Pastoral e da Santa Missa, que serão transmitidos ao mundo inteiro”.

O desafio alarga-se assim às dioceses do mundo inteiro: “naqueles mesmos dias, cada diocese poderá ser o centro de um Encontro local para as suas famílias e comunidades” e, “desta forma, todos poderão participar, até mesmo aqueles que não poderiam vir a Roma”

O Papa convida “as comunidades diocesanas a organizar iniciativas a partir do tema do encontro, utilizando os símbolos que a diocese de Roma está a preparar” e pede a todos os continentes “que sejam dinâmicos, ativos e criativos, para se organizarem com as famílias, em sintonia com o que acontecerá em Roma”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+