Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Papa põe Igreja a caminhar sete anos rumo à ecologia integral

25 mai, 2021 - 11:42 • Aura Miguel

A Plataforma ´Laudato Si`, que implica um caminho de sete anos relacionado com sete realidades, quer tornar as comunidades católicas "totalmente sustentáveis".

A+ / A-
Papa e ecologia integral. "Recebemos das mãos de Deus um jardim, não podemos deixar um deserto aos nossos filhos"
Papa e ecologia integral. "Recebemos das mãos de Deus um jardim, não podemos deixar um deserto aos nossos filhos"

O Papa lançou no Vaticano a “Plataforma de Ação ‘Laudato Si’”, sublinhando a necessidade de enfrentar a atual “crise ecológica sem precedentes” – “um caminho de sete anos que envolverá as nossas comunidades de várias formas, para que se tornem totalmente sustentáveis no espírito da ecologia integral”.

Numa mensagem vídeo divulgada esta terça-feira, Francisco lembrou que há “algum tempo, que esta casa que nos hospeda, sofre com as feridas que causamos por uma atitude predatória, que nos faz sentir donos do planeta e dos seus recursos e nos autoriza a usar irresponsavelmente os bens que Deus nos deu”. Preocupado com tantas feridas que “se manifestam dramaticamente numa crise ecológica sem precedentes, que afeta o solo, o ar, a água e, em geral, o ecossistema em que vive o ser humano”, o Papa acrescentou que “a atual pandemia trouxe à luz o grito da natureza e dos pobres que mais sofrem com as suas consequências, evidenciando que tudo está interligado e interdependente e que a nossa saúde não está separada da saúde do meio ambiente em que vivemos.”

Neste contexto, considera urgente “uma ecologia humana integral, que envolva, não só as questões ambientais, mas o homem na sua totalidade, torna-se capaz de ouvir o grito dos pobres e de ser fermento para uma nova sociedade”.

Preocupado, sobretudo com as gerações futuras, Francisco interroga-se: “Que mundo queremos deixar para as nossas crianças e jovens? O nosso egoísmo, a nossa indiferençaa e os nossos estilos irresponsáveis estão a ameaçar o futuro de nossos filhos!”

Por isso, deixa um apelo. “Cuidemos da nossa mãe Terra, superemos a tentação do egoísmo que nos torna predadores dos recursos, cultivemos o respeito pelos dons da Terra e da criação, inauguremos um estilo de vida e uma sociedade que finalmente seja eco-sustentável. Temos a oportunidade de preparar um amanhã melhor para todos. Recebemos das mãos de Deus um jardim, não podemos deixar um deserto aos nossos filhos”.

A plataforma implica um caminho de sete anos relacionado com sete realidades: famílias; paróquias e dioceses; escolas e universidades; hospitais; empresas e explorações agrícolas; organizações, grupos e movimentos; e institutos religiosos.

A Santa Sé propõe também sete objetivos a alcançar neste caminho: “a resposta ao grito da terra, a resposta ao grito dos pobres, economia ecológica, adoção de simples estilos de vida, educação ecológica, espiritualidade ecológica, envolvimento comunitário e ação participativa”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+