Tempo
|
A+ / A-

Espanha. Conferência Episcopal critica manipulação política da crise em Ceuta e Melilla

19 mai, 2021 - 20:41 • Ecclesia

Bispos católicos lembram sofrimento de muitas famílias e menores, sublinhando «valor supremo da vida»

A+ / A-

O Departamento de Migrações da Conferência Episcopal Espanhola (CEE) publicou uma nota sobre a situação e Ceuta e Melilla, manifestando a “preocupação” dos bispos católicos e pedindo respeito pelo “valor supremo da vida”.

“Apelando ao valor supremo da vida e da dignidade humana, [a CEE] recorda que o desespero e o empobrecimento de muitas famílias e menores não pode e não deve ser utilizado por nenhum Estado para explorar as aspirações legítimas dessas pessoas para fins políticos”, refere o texto, divulgado online.

A CEE mostra a sua solidariedade às dioceses de Cádiz-Ceuta e Málaga-Melilla, elogiando o seu “percurso reconhecido no atendimento e acolhimento dos migrantes”, bem como as “iniciativas necessárias nas cidades autónomas para acolher e proteger plenamente os direitos dos migrantes, especialmente dos menores”.

d. Rafael Zornoza Boy, bispo de Cádiz e Ceuta, pediu orações pela “solução do conflito”, realçando o trabalho da Cáritas na “generosa resposta humanitária”.

“Reclamamos uma política ao serviço do bem comum”, escreveu o responsável católico.

5600 pessoas migrantes regressaram já a Marrocos, depois de, desde segunda-feira, cerca de 8 mil pessoas terem atravessado a fronteira para Ceuta.

Pequenos grupos de jovens tentam ainda chegar a nado à cidade autónoma espanhola, localizada no norte de África, que esta terça-feira recebeu várias unidades do Exército espanhol.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+