Tempo
|
A+ / A-

Bispo do Algarve destina renúncia quaresmal a diocese de S. Tomé e Príncipe

26 fev, 2020 - 16:30 • Ecclesia

“Sempre que partilhamos o que somos e o que temos contrariamos a inclinação para construir muros”, diz D. Manuel Quintas.

A+ / A-

O bispo do Algarve anunciou na sua mensagem para a Quaresma que a diocese vai ajudar a comunidade católica de S. Tomé e Príncipe, mais concretamente à Paróquia do Príncipe.

“Sempre que partilhamos o que somos e o que temos, unindo-nos a todos os homens e mulheres de boa vontade, contrariamos a inclinação para “construir muros” à nossa volta, bem como a tendência para a acumulação supérflua e o desperdício, e contribuímos para minorar o sofrimento humano, tornando-nos semeadores de esperança”, escreveu D. Manuel Quintas.

A Diocese de S. Tomé e Príncipe tem como bispo o missionário português D. Manuel António dos Santos.

A Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, na Ilha do Príncipe (com cerca de 7000 habitantes e 142 quilómetros quadrados), tem desde 4 de janeiro ao seu serviço o padre Francisco Melo, da Diocese de Aveiro, que também destina parte da sua renúncia da Quaresma a esta comunidade.

O bispo do Algarve exorta “todos”, à semelhança dos anos anteriores, à “generosidade nesta partilha fraterna” que é expressão da “comunhão eclesial” com a diocese missionária e com a “comunidade paroquial, que pede a ajuda”.

“A verba destinar-se-á a apoiar a resposta a diversas carências pastorais e sociais, nomeadamente, a formação escolar, a reconstrução da igreja paroquial (teto a ruir), a conclusão da Casa da Catequese, a formação dos agentes de pastoral”, explica D. Manuel Quintas.

Em 2019, refere o responsável católico, os donativos recolhidos ajudaram algumas comunidades das Dioceses de Viana e Luena, em Angola, com o envio de 20 mil euros para a “promoção humana e social”, sobretudo no campo da educação.

O tempo litúrgico da Quaresma, que começa esta quarta-feira com a Quarta-feira de Cinzas, é um período de 40 dias (excetuando os domingos), marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário dos cristãos.

O bispo do Algarve assinala que o “alimento indispensável” para prosseguir nesse caminho de conversão é “a escuta mais assídua da Palavra de Deus”, “a oração mais sincera, que aproxima de Cristo e é reflexo da vida”, “o jejum, que vai muito além do privar-se de alimento” e “a esmola, que traduz o caminho de conversão na partilha fraterna e solidária”.

O jornal diocesano "Folha do Domingo" informa que D. Manuel Quintas preside à celebração de Quarta-feira de Cinzas, pelas 21h00, na catedral de Faro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+