Tempo
|
A+ / A-

D. Tolentino pede atenção especial à educação e mais cuidado com a natureza

23 dez, 2019 - 14:46 • Lusa

O cardeal, natural da Madeira, destacou a “intensidade telúrica poderosa” daquela ilha, durante uma homenagem que lhe foi feita na Assembleia Legislativa.

A+ / A-

O cardeal D. José Tolentino Mendonça pediu esta segunda-feira aos deputados da Assembleia Legislativa da Madeira para dedicarem “especial atenção” à causa da educação e tomarem medidas para uma maior proteção ecológica do arquipélago.

"A ilha que nos sonha precisa de ser protegida e cuidada, porque a ilha é também frágil, é um corpo vulnerável, agredido pelos desequilíbrios, exposto à devastação", afirmou, numa cerimónia no parlamento madeirense, no Funchal, em que lhe foi atribuída a Medalha de Mérito da Região Autónoma da Madeira, o mais alto galardão insular.

O cardeal, que é natural de Machico, zona leste da Madeira, sublinhou que a "consciência ecológica" está cada vez mais na ordem do dia e realçou a importância de não se considerar a natureza como algo separado dos seres humanos, pois o homem está incluído nela.

"É, por isso, fundamental buscar soluções integradas, que considerem as interações dos sistemas naturais entre si e com os sistemas sociais", disse, vincando que não há duas realidades separadas, uma ambiental e outra social, mas uma "única e complexa realidade socioambiental".

D. José Tolentino Mendonça evocou a "intensidade telúrica poderosa" da ilha da Madeira e a sua "inesgotável capacidade de nos integrar na beleza", mas alertou para os perigos ambientais que também a ameaçam.

O cardeal, também homem de cultura e autor de numerosos livros, apelou, por outro lado, aos deputados do parlamento madeirense para dedicarem uma "especial atenção" à causa da educação, assumindo-a como "desígnio transversal e coletivo".

"O regime democrático universalizou o ensino e isso é um bem. Mas enfrentamos agora o desafio da qualidade. Tudo o que se puder fazer para qualificar o nosso ensino, do pré-primário ao universitário, reforçando as potencialidades das nossas escolas, investindo na formação das pessoas e fortalecendo as instituições de cultura seja uma prioridade", disse.

E reforçou: "A sociedade precisa que os percursos de excelência, traduzidos nos mais diversos âmbitos da vida, não sejam uma exceção, mas um possível que se concretiza muitas vezes".

A atribuição da Medalha de Mérito a José Tolentino Mendonça pelo parlamento madeirense constitui um reconhecimento do percurso de vida do cardeal, poeta e professor, nascido em dezembro de 1965.

Por outro lado, a Câmara Municipal de Machico, sua terra natal, promove esta tarde uma cerimónia de homenagem, em que será atribuído o seu nome a uma rua no centro da cidade.

D. José Tolentino Mendonça foi criado cardeal pelo Papa Francisco em outubro de 2019, tornando-se aos 54 anos o segundo membro mais jovem do colégio cardinalício, após o cardeal de Bangui (República Centro-Africana), Dieudonné Nzapalainga, de 52 anos.

É autor de numerosos livros pelos quais ficou conhecido nos mais diversos quadrantes sociais. O madeirense, arquivista do Vaticano e bibliotecário da Biblioteca Apostólica, iniciou os estudos em Teologia em 1982 e foi ordenado padre em 1990. Estudou Ciências Bíblicas em Roma e foi professor e vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa, a instituição onde fez o doutoramento em Teologia Bíblica.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+