A+ / A-

Europeias 2024

​E no fim dançou-se “A Carvalhesa” na CDU. “Foi um esforço muito grande, mas valeu a pena”

10 jun, 2024 - 02:58 • Cristina Nascimento

CDU reduziu a sua representação no Parlamento Europeu, mas conseguiu eleger um deputado – o cabeça de lista João Oliveira.

A+ / A-

Veja também:


Foram os primeiros a chegar e foram os que fizeram maior festa no fim. Os jovens apoiantes da CDU garantiram que a sala estava sempre composta, agitaram bandeiras, ouviram as intervenções, bateram palmas e, no fim, dançaram “A Carvalhesa”.

E esse momento, poderá dizer-se, representa a satisfação de comunistas e verdes.

O resultado, de 4%, representa uma redução da representação do PCP no Parlamento Europeu. Este é o copo meio vazio. Mas o resultado, de 4%, representa a manutenção do PCP no Parlamento Europeu. Este é o copo meio cheio.

No discurso que fechou a noite eleitoral, Paulo Raimundo admite que o resultado que tiveram “não corresponde aquilo que precisávamos”, mas lembrou que, ao contrário do que muitos vaticinavam, continuam presentes no Parlamento Europeu.

“Foi um esforço muito grande, mas valeu a pena”, assegura o secretário-geral comunista.

E com o alento deste resultado, Raimundo garante que há razões para estarem satisfeitos e com redobrada força para “amanhã continuar a lutar pela defesa do povo, dos trabalhadores e da paz”.

Esta foi a segunda batalha eleitoral de Paulo Raimundo enquanto secretário-geral comunista. Esta noite foi mais feliz que a das legislativas, quando o PCP viu emagrecer a bancada parlamentar de seis para quatro deputados.

O partido não se livrará dos reparos que o PCP é o partido que nunca perde as eleições, mas esta noite, além dos discursos, efetivamente dançou-se “A Carvalhesa”, os sorrisos eram muitos e a promessa de que “a luta continua”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+