A+ / A-

Eleições

Bloco de Esquerda resiste por pouco nas europeias

10 jun, 2024 - 02:26 • Isabel Pacheco

Partido de Mariana Mortágua e Catarina Martins sobrevive às eleições europeias apesar da perda de um dos dois eurodeputados. E teima em não assumir derrota.

A+ / A-

Veja também:


Ainda os votos das eleições europeias não estavam todos contados e a cabeça de lista Catarina Martins já dava por assegurada a continuidade do Bloco de Esquerda (BE) no Parlamento Europeu com sua eleição para Bruxelas.

“Numas eleições que sabíamos que eram difíceis em toda a Europa, o BE mantém a representação no Parlamento Europeu”, sublinhou a candidata bloquista no início do seu discurso, em noite eleitoral no Fórum Lisboa, sem nunca assumir a derrota do partido com a perda do segundo eurodeputado eleito em 2019.

Apesar da queda de 10,56% para 4,3% dos votos, não foi esse o rumo do discurso de Catarina Martins. A tarefa coube à coordenadora do partido, Mariana Mortágua que, ao lado de cabeça de lista, admitiu que o BE ficou aquém das expectativas.

O Bloco de Esquerda não cumpriu o objetivo de manter a sua representação no Parlamento Europeu, mas assim como aconteceu nas legislativas, resistimos”, sublinhou Mariana Mortágua no fecho de uma noite que não foi fácil para os bloquistas que tiveram que esperar até ao último minuto para confirmarem a eleição que chegou a estar tremida.

Ainda assim foi o primeiro partido a dar como encerrada a noite, mas sem antes anotar a “derrota da extrema-direita”.

“Há uma reconfiguração dentro da direita e que passa por uma perda da extrema-direita. E não podemos deixar de apontar essa perda como positiva”, apontou Mariana Mortágua.

“Queremos assinalá-lo como um dos grandes dados desta noite”, destacou a coordenadora do BE, que insistiu em ver uma conquista no meio do resultado das eleições que ditaram o retrocesso do partido que, 10 anos depois, volta a ter apenas um deputado no Parlamento Europeu.

Quanto a leituras nacionais, todos as rejeitaram. Se Catarina Martins afastou a hipótese de um mau resultado afetar a vida interna do partido durante a campanha eleitoral. Em dia de eleições, Francisco Louçã, uma das figuras do partido presentes no antigo Cinema Roma, também não o quis fazer.

À entrada para aquela que é também a sede da assembleia municipal de Lisboa, o fundador do Bloco de Esquerda reafirmou a confiança em Mariana Mortágua.

“É uma líder extraordinária no BE. Durante muitos anos fará o seu percurso. Acho que tem à sua frente um caminho extraordinário”, rematou.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+