A+ / A-

ADN ultrapassa PAN que falha eleição de novo mandato

10 jun, 2024 - 01:19 • Lusa

Em maio de 2019, o PAN tinha sido a surpresa das eleições europeias, ao eleger pela primeira vez um eurodeputado, que acabou por se desfiliar e terminar o mandato na qualidade de independente.

A+ / A-

A Alternativa Democrática Nacional (ADN), partido sem representação na Assembleia da República, ultrapassou o Pessoas-Animais-Natureza (PAN) nas eleições europeias de domingo, ao conseguir 1,37% dos votos.

Com todos os mandatos atribuídos e a contagem (99,28%) praticamente fechada, o ADN obteve 1,37%, correspondentes a 54.044 votos, e ficou à frente do PAN, que conseguiu 1,22%, ou seja, 47.943 votos.

Em maio de 2019, o PAN tinha sido a surpresa das eleições europeias, ao eleger pela primeira vez um eurodeputado, que acabou por se desfiliar e terminar o mandato na qualidade de independente.

O partido tinha como cabeça de lista Pedro Fidalgo Marques às eleições europeias, enquanto o ADN contava com Joana Amaral Dias.

O ADN tinha sido a novidade nas eleições legislativas de 10 de março, quando conseguiu mais de 100 mil votos, depois de em 2022 ter tido quase 11 mil, o que poderá ter custado deputados em pelo menos dois distritos à Aliança Democrática (AD).

Nas eleições legislativas de março último, muitos eleitores relataram ter confundido os símbolos da AD e do ADN, que teve um resultado histórico, nomeadamente em distritos do interior onde o PSD e o CDS têm habitualmente bons resultados.

Em Viseu, o ADN teve 3,13% dos votos, passando de 188 boletins em 2022 para 6.615. Somando a diferença desse valor à AD e aplicando o método de Hondt -- que define a proporcionalidade da distribuição dos mandatos em Portugal -, a coligação do PSD, CDS e PPM teria obtido mais um deputado, à custa de um eleito do PS.

Cenário semelhante poderia acontecer em Lisboa, onde o ADN teve 1,45% (19.067 votos), um valor que, descontando o resultado de 2022 (3.249 votos), iria dar a vitória à AD no círculo da capital e o 48.º mandato, com o PS a perder um deputado.

O ADN teve resultados acima da sua média nacional (1,63%) em círculos onde a AD tem força eleitoral como Bragança (2,18%), Guarda (2,56%), Vila Real (2,95%), Braga (1,79%) ou Porto (1,76%).

Durante o dia eleitoral AD e ADN apresentaram queixas junto da Comissão Nacional de Eleições (CNE) pela semelhança das designações nos boletins de voto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+