A+ / A-

As seis horas de Zelensky em Lisboa. "Sinto que os portugueses acreditam no futuro da Ucrânia"

28 mai, 2024 - 23:57 • João Pedro Quesado

A assinatura de um acordo de cooperação de segurança foi o ponto mais importante da visita do Presidente ucraniano, que voltou a sublinhar a necessidade de ajuda militar. Ucranianos a viver em Portugal também puderam conhecer Zelensky.

A+ / A-

Volodymyr Zelensky esteve cerca de seis horas em Portugal esta terça-feira. A visita rápida fez parte de uma digressão a Espanha e também à Bélgica, onde foram assinados acordos bilaterais de ajuda à Ucrânia.

O Presidente ucraniano encontrou-se com o primeiro-ministro, Luís Montenegro, para assinar um desses acordos de cooperação na segurança com Portugal. O acordo compromete Portugal durante dez anos e inclui 126 milhões de euros em apoio militar em 2024 e "apoio militar adicional para a Ucrânia, incluindo aquele a acordar no quadro da União Europeia, da NATO" e outras organizações.

O acordo assinado em São Bento, entre Montenegro e Zelensky, tem um horizonte de dez anos e prevê que “Portugal contribuirá com apoio militar adicional para a Ucrânia, incluindo aquele a acordar no quadro da União Europeia, da NATO e de outros fóruns internacionais relevantes”.

O apoio português inclui o "apoio estrutural à reforma do setor de defesa", o treino de forças de segurança e defesa ucranianas e apoio para responder a ameaças híbridas, além de "apoio médico" para o tratamento e reabilitação de pessoal das forças de defesa e equipamento industrial "através de cooperação industrial".

Zelensky aproveitou a oportunidade para agradecer o apoio de Portugal aos ucranianos e suas famílias. "Sinto no coração que os portugueses acreditam no futuro da Ucrânia", declarou, prometendo "maior colaboração quando a Ucrânia conseguir a sua independência".

A ajuda e solidariedade de Portugal nunca serão esquecidos e representam "uma base forte para a futura relação" entre Portugal e a Ucrânia, sublinhou.

Entre o equipamento militar que Portugal vai fornecer estão os carros de combate Leopard 2A6, sistemas de veículos aéreos não tripulados (UAV), veículos blindados de transporte de pessoal M113, e veículos blindados de socorro e evacuação médica M577. Portugal também faz ainda parte da Coligação F16, da Coligação Internacional de Capacidades Marítimas e dos programas de aquisição conjunta de munições de grande calibre liderados pela Chéquia e pela Agência Europeia de Defesa.

Quanto à ajuda de Portugal na reconstrução da Ucrânia, Zelensky acredita que "será uma oportunidade de negócio" para os portugueses. E voltou a reforçar a necessidade de ajuda imediata: "Espera pelo apoio é como estar no deserto sem água. Esperamos e nunca mais vem. Enquanto isso, temos mísseis a sobrevoar os nossos céus todos os dias", lamentou.

Marcelo Rebelo de Sousa, que vai chefiar a delegação portuguesa à Cimeira da Paz na Suíça, em junho - organizada pela Ucrânia -, recebeu Zelensky no Palácio de Belém para um encontro a sós, antes de um jantar dos dois com Luís Montenegro, Paulo Rangel (ministro dos Negócios Estrangeiros) e Teresa Morais (vice-presidente da Assembleia da República).

O Presidente ucraniano deixou Portugal pouco depois das 21h00. Antes disso, ainda em São Bento, Volodymyr Zelensky encontrou-se com famílias ucranianas que estão a viver em Portugal desde o início da invasão russa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+