A+ / A-

Marcelo chefia delegação nacional na Cimeira da Paz de junho

28 mai, 2024 - 18:40 • Lusa

Anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, Luís Montenegro, esta terça-feira.

A+ / A-

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai chefiar a delegação portuguesa à Cimeira da Paz que a Ucrânia está a organizar e que vai decorrer na Suíça em junho nos dias 15 e 16.

O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro português, Luís Montenegro, na conferência de imprensa conjunta com o Presidente ucraniano, Volodomyr Zelensky, que realiza uma visita de Estado a Portugal.

No seu discurso inicial, Luís Montenegro adiantou que debateu com o primeiro-ministro ucraniano, na reunião realizada em São Bento e que antecedeu a assinatura de um acordo bilateral de segurança, "os preparativos para duas iniciativas da maior importância que terão lugar em junho: A Conferência sobre a Reconstrução da Ucrânia, que terá lugar nos dias 11 e 12 em Berlim, e a Cimeira da Paz nos dias 15 e 16.

Na perspetiva do líder do executivo português, esta cimeira "vai procurar uma plataforma conducente ao lançamento das negociações para uma paz justa e duradoura" na Ucrânia.

A seguir, perante Volodymyr Zelkenky, Luís Montenegro disse que, durante a reunião, reiterou ao chefe de Estado ucraniano o compromisso de Portugal "com uma presença ao mais alto nível".

"Posso mesmo anunciar que será o senhor Presidente da República [Marcelo Rebelo de Sousa] que chefiará a delegação, que contará também com a presença do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Rangel. Perante o Presidente da Ucrânia, quero também reafirmar que Portugal continuará a fazer todos os esforços e todos os contactos, a todos os níveis, para mobilizar e motivar o maior número de países, tendo em vista que participem num encontro, que é um encontro a olhar para a paz e para o futuro", declarou o primeiro-ministro.

Também neste contexto, Luís Montenegro referiu que, durante o seu encontro com Volodymyr Zelensky, foi analisada a situação no campo de batalha na Ucrânia face à invasão russa e apoio que tem sido prestado a Kiev para se defender.

"É inabalável e firme o apoio de Portugal à legítima defesa da Ucrânia, à promoção de uma paz justa com base na fórmula que o Presidente Zelensky tem vindo a apresentar", acrescentou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+