Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Eleições Legislativas 2024

PS quer derrotar AD para assegurar "paz, pão, saúde, educação"

04 mar, 2024 - 13:41 • Lusa

Numa arruada na Afurada, Pedro Nuno Santos esteve acompanhado por Rosa Mota e afirmou que o país está "tramado" se o PS não vencer a Aliança Democrática.

A+ / A-

O secretário-geral socialista concordou esta segunda-feira com uma senhora que lhe disse que "só há liberdade a sério quando houver a paz, o pão, habitação, saúde e educação", mas considerou que, para tal, é preciso "o PS derrotar a AD".

Numa arruada muito participada na Afurada, concelho de Gaia, no Porto, Pedro Nuno Santos esteve acompanhado pela atleta olímpica Rosa Mota, conhecida apoiante do PS, pelo cabeça de lista pelo Porto, Francisco Assis, e por vários candidatos dessa lista, como o ministro da Saúde, Manuel Pizarro.

A dada altura do trajeto, uma senhora dirigiu-se ao líder socialista para referir que não é socialista, mas torce por Pedro Nuno Santos porque "é o mais bem posicionado para formar um Governo à esquerda".

"A geringonça, como muitas a pintam, não foi tão mau como dizem. Porque só há liberdade a sério quando houver a paz, o pão, habitação, saúde e educação", afirmou.

"Exatamente, mas o PS tem de derrotar a AD, senão estamos tramados", respondeu o líder do PS.

Ao longo do percurso, Pedro Nuno Santos deu autógrafos, distribuiu abraços, beijinhos e tirou "selfies", tendo ouvido em troca várias promessas de voto no PS, mas também algumas pessoas a pedirem-lhe que resolva a crise na habitação.

"Vamos trabalhar para isso", respondeu o líder do PS que, durante o trajeto, foi também trocando palavras com Rosa Mota, que foi algumas vezes engolida pela multidão e tinha de regressar à "bolha" onde se encontrava Pedro Nuno Santos com a ajuda dos seguranças do líder do PS.

"Isto é mais difícil do que a meia-maratona", ironizou Pedro Nuno Santos, com a atleta olímpica a concordar, mas a dizer que faz como nas provas: "Ninguém me empurra".

Mais à frente, uma senhora pediu-lhe que faça alguma coisa por ele, porque só tem uma pensão de "300 e tal euros", com o líder do PS a concordar que "é preciso aumentar".

Perto do final do percurso, o líder subiu a uma varanda, onde recebeu uma réplica de um barco de pescadores local, com o nome de Pedro Nuno Santos, com a campanha socialista a dizer que ele iria levá-lo para o gabinete de primeiro-ministro caso seja eleito.

Com um microfone na mão, Pedro Nuno Santos dirigiu-se às centenas de pessoas que o ouviam na rua para agradecer-lhes pela "força" e salientar que o PS está "a caminho da vitória para construir um país para todos".

"Nós não podemos desbaratar o que conquistámos. Nós temos é de andar para a frente, não é andar para trás, como alguns querem, é construir um futuro onde todos possamos viver melhor: os jovens, os mais velhos, a classe média, os trabalhadores, os pescadores também".

Depois, antes de entrar no carro, Pedro Nuno Santos ainda teve tempo de assistir a um canto e dança tradicional das varinas da Afurada. O atual primeiro-ministro, António Costa, tinha feito uma arruada nesta mesma localidade nas últimas eleições legislativas em 2022, tendo o PS obtido 44% dos votos contra 28% do PSD nesta freguesia piscatória.

Mais de 10,8 milhões de portugueses são chamados a votar no domingo para eleger 230 deputados à Assembleia da República. .

A estas eleições concorrem 18 forças políticas, 15 partidos e três coligações.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+