Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

“Não viemos para fazer os jogos da política”, diz Montenegro

03 mar, 2024 - 19:52 • Manuela Pires

Num comício com mais de mil e duzentas pessoas, coube ao líder do CDS e ao cabeça de lista pelo distrito António Leitão Amaro responder a Costa.

A+ / A-
DOM AMNE PIRES VISEU ok

Vinte e quatro horas depois, Luís Montenegro continua sem dizer uma palavra sobre a entrada de António Costa na campanha e as críticas que o primeiro-ministro fez ao PSD e à Aliança Democrática.

De manhã, na Figueira da Foz, Luis Montenegro disse aos jornalistas que não tinha ouvido o discurso e ao início da noite, no comício em Viseu, deixou claro que está nesta campanha para falar dos problemas das pessoas, das propostas que tem para o país.

O líder da AD disse mesmo que não veio para fazer jogos de política, mas sim para dar felicidade aos portugueses.

“Nós não viemos para os jogos da política. Nós não viemos para fazer notícias para os jornais e para os telejornais, por muito respeito que tenho pela comunicação social. Nós viemos para garantir um Estado social que serve os cidadãos. Nós viemos para dizer a quem trabalha que vale a pena trabalhar. Nós viemos para dar felicidade a cada ser humano e a cada português. Entretenham-se outros com aquilo que é acessório”, disse Luis Montenegro no comício de Viseu.

Coube por isso ao parceiro da coligação Nuno Melo responder a António Costa.

“O jogo acabou porque o dr. António Costa pegou na bola, levou a equipa toda e saiu do campo e pela porta pequena, o jogo acabou porque o treinador não prestava."

Mas o líder do CDS continuou.

“O jogo acabou porque o treinador não prestava e é preciso uma chicotada psicológica”, referiu Nuno Melo.

Mas na equipa da AD há outros jogadores como António Leitão Amaro. O cabeça de lista em Viseu escolheu como alvo de todas as críticas Pedro Nuno Santos.

“O governo não é um campo de treino para os incompetentes. Um governo é sobre ter os confiáveis, os que sabem o que querem, os que sabem o que o país precisa”, disse o vice-presidente do PSD.

E na lista dos confiáveis não está seguramente António Costa como adianta Fernando Ruas, Presidente da Câmara Municipal de Viseu.

“Também no futebol, eles têm de passar rasteiras e foi aí que ele começou, com uma rasteira ao António José Seguro e depois quis ganhar o jogo quando o perdeu”, referiu Ruas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anastácio José Marti
    04 mar, 2024 Lisboa 09:47
    Se não vieram para fazer os jogos da política, digam aos portugueses o que já fizeram, se é que fizeram algo, para que deixem de fazer incidir sobre os Subsídios de Férias e de Natal, descontos como os da CGA, ADSE, IRS, etc, sabendo-se, como se sabe, que foi num Governo do PSD que esta vergonha foi imposta a quem trabalha e que até hoje, nenhum dos Governos do PS quis colmatar esta vergonha nacional, mantendo-se a mesma ainda hoje como se a Troika ainda cá estivesse. É isto admissível senhor Montenegro?

Destaques V+