Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

​Pedro Nuno Santos acusa direita de "dualismo e incoerência" na TAP

06 fev, 2024 - 19:34 • Manuela Pires , com redação

Num almoço-debate com empresários do turismo, líder do PS prometeu não perder mais tempo sobre a escolha da localização do novo aeroporto.

A+ / A-
Pedro Nuno Santos acusa direita de "dualismo e incoerência" na TAP

Veja também:


O líder do Partido Socialista (PS), Pedro Nuno Santos, critica os partidos da oposição que contestam a intervenção na TAP, mas esquecem o resgate que foi feito há dois anos na SATA por um governo liderado pelo PSD.

“Foi por um governo PSD/CDS/PPM, apoiado pela Iniciativa Liberal e pelo Chega. Estavam lá todos juntos, eu nunca ouvi nenhum a criticar a intervenção na SATA. Eu cá defenderia a intervenção na SATA, também, mas é este dualismo, esta incoerência que caracteriza a política em Portugal, infelizmente”, disse Pedro Nuno Santos, esta terça-feira, num almoço-debate organizado pela Confederação do Turismo de Portugal.

O secretário-geral do PS reconhece que a privatização da TAP é um tema pesado, que o vai acompanhar: “É um processo difícil, é uma mochila que eu carrego e carregarei para o resto da minha vida”.

Pedro Nuno Santos prometeu ainda não perder mais tempo sobre a escolha da localização do novo aeroporto.

“De que é que Portugal está à espera? Eu já tinha feito uma tentativa que se frustrou e na primeira oportunidade não vou perder nem mais um segundo”, sublinhou o candidato a primeiro-ministro nas eleições legislativas de 10 de março.

Neste almoço, Pedro Nuno Santos não esqueceu a ferrovia e disse que há cada vez mais turistas que andam de comboio. Garantiu que há muito trabalho em curso, nomeadamente na Linha da Beira Baixa e na Linha de Cascais.

O secretário-geral do PS diz também que o presidente do PSD tem assegurado que não governa com o Chega e se ficar em segundo nas eleições legislativas, o que indica que Luís Montenegro "não tem forma de governar".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+