Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Luís Filipe Menezes insta Marcelo a proibir que Costa intervenha em cerimónias públicas

05 jan, 2024 - 00:23 • Lusa

Para o antigo líder do PSD, "António Costa nunca fez tanta campanha eleitoral como agora".

A+ / A-

O antigo líder do PSD Luís Filipe Menezes apelou esta quinta-feira ao Presidente da República para impedir que o primeiro-ministro intervenha em qualquer cerimónia pública, nomeadamente em inaugurações, até às eleições.

Em declarações aos jornalistas em Braga, no final de um Conselho Nacional do PSD, Menezes instou Marcelo Rebelo de Sousa a seguir o exemplo de Mário Soares, quando este, no dia a seguir ao congresso em que Fernando Nogueira foi eleito líder do PSD, "exigiu" que o então primeiro-ministro, Cavaco Silva, não interviesse em nenhuma cerimónia pública.

"É isso que eu espero do professor Marcelo Rebelo de Sousa, que diga rapidamente isso ao Partido Socialista e ao doutor António Costa", vincou Menezes.

Para o antigo líder do PSD, "António Costa nunca fez tanta campanha eleitoral como agora".

Em relação às legislativas de 10 de março, Luís Filipe Menezes disse ter a "certeza absoluta" de que "o que vai sair é, uma primeira vez em 20 anos, uma derrota da esquerda nas eleições".

"Os partidos não socialistas vão ter maioria nestas eleições. Portanto, é bom que o Presidente da República se prepare para isso. Esta coisa da geringonça acabou", afirmou.

Para Menezes, o PSD deve apostar em propostas disruptivas, "que fazem a diferença e que, em larga medida, levam algum eleitorado para o Chega".

Em relação à coligação pré-eleitoral entre PSD, CDS-PP e Chega, disse que não tem "rigorosamente nada contra", advogando mesmo que "traz vantagens".

Na sua opinião, o CDS "vai ajudar a que a Iniciativa Liberal definhe", com o consequente crescimento da coligação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • JM
    05 jan, 2024 Seixal 15:21
    Tantas certezas na vitória, com a aliança do CHEGA, porque pretende que o professor Marcelo mande calar o 1º ministro demitido. Ainda falta dois meses e já estão com medo...

Destaques V+