Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

"Estão a funcionar pior". PSD leva estado dos serviços públicos a debate no Parlamento

14 dez, 2023 - 07:00 • Manuela Pires

O Governo vai estar ausente no debate, marcado pelo PSD, para discutir a situação dos serviços públicos. Saúde, educação, habitação e justiça são algumas das áreas que os social-democratas querem abordar.

A+ / A-

O PSD considera que a situação dos serviços públicos é um dos problemas que mais preocupa os portugueses e para os social-democratas é o sinal claro da incapacidade de gestão do Governo socialista.

No debate, agendado para esta quinta-feira à tarde, no Parlamento, o PSD quer questionar o Governo sobre a situação de muitos serviços públicos de diversas áreas como a educação, a saúde, a justiça ou a habitação.

O deputado Hugo Carneiro elenca as diversas áreas que, para os social-democratas, são mais preocupantes.

“A educação, a saúde, a extinção do SEF, a justiça, a habitação, são áreas que têm de ser escalpelizadas. Chegou o momento para fazer mais um balanço e concluir que a governação de oito anos do Partido Socialista não acrescentou, mas retirou ao país e os serviços públicos estão a funcionar pior por incapacidade de gestão”, refere o deputado Hugo Carneiro.

A três meses das eleições legislativas, o PSD quer mostrar que depois de oito anos de Governo socialista os serviços públicos estão a funcionar pior e o deputado Hugo Carneiro dá vários exemplos: na saúde com a falta de médicos de família, na educação com os resultados do PISA que mostram uma queda de Portugal neste estudo da OCDE e a falta de professores.

O deputado social-democrata apontou ainda outros exemplos de serviços onde é cada vez mais difícil aceder.

“Uma pessoa alvo de um despedimento coletivo queria junto da Autoridade das Condições de Trabalho conhecer os seus direitos, mas só por agendamento. É impossível o país estar a funcionar com a regras da pandemia, nós já não estamos na pandemia”, remata Hugo Carneiro.

O PSD diz que o Governo atira “areia para os olhos dos portugueses quando fala em redução da dívida pública e quando diz que há mais funcionários públicos, quando os serviços estão a funcionar pior”.

Para além da saúde e da educação, Hugo Carneiro dá ainda outro exemplo dos oficiais de justiça e do prometido estatuto.

“O Governo teve oportunidade de rever este estatuto e não o fez e agora a crise política já não leva à revisão, e isso tem consequências no modo como os serviços estão a funcionar”, exemplifica o deputado.

O debate do PSD vai fazer-se apenas entre os deputados, porque a bancada do Governo vai estar vazia. Fonte do gabinete da ministra dos Assuntos Parlamentares diz à Renascença que nenhum membro do Governo vai estar no debate sobre os serviços públicos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anastácio José Marti
    14 dez, 2023 Lisboa 14:39
    Como poderão algum dia os serviços públicos funcionarem melhor enquanto estiverem, como o estão há décadas, totalmente politizados e a servirem de asilo para os políticos que não tendo tacho no interior dos partidos em que estão filiados ali são colocados com base na confiança politica para terem os tachos as panelas e as frigideiras politicas que contaminam o Estado? Faça-se a reforma da Administração Pública que há muito é necessário fazer e a limpeza destas vergonhas nacionais que apenas interessam a quem as impõe e nunca ao país nem ao cidadão comum.

Destaques V+