Tempo
|
A+ / A-

Aeroporto. Carneiro diz que "não pode haver" concessionárias com maior poder que o Estado

09 dez, 2023 - 16:09 • Lusa

O candidato à liderança do PS José Luís Carneiro defendeu ainda que a decisão final sobre a localização da infraestrutura "deve merecer amplo consenso nacional".

A+ / A-

O candidato à liderança do PS José Luís Carneiro afirmou este sábado, em Barcelos, distrito de Braga, que "não pode haver entidades concessionárias que tenham maior poder que o próprio Estado", numa referência à localização do novo aeroporto de Lisboa.

"Não pode haver entidades concessionárias que tenham maior poder que o próprio Estado. O Estado tem de ter um poder que se sobreponha àqueles que são os concessionários, no exercício de um direito, mas também de deveres para com o interesse público", referiu.

A Comissão Técnica Independente (CTI) identificou Alcochete como a solução com mais vantagem para o novo aeroporto, entre as duas soluções viáveis para um "hub" (aeroporto que funciona como plataforma de distribuição de voos) intercontinental.

No entanto, a gestora de aeroportos da multinacional Vinci manifestou-se disponível para fazer todos os investimentos necessários num novo aeroporto no Montijo, mas não em Alcochete.

Em relação à localização, José Luís Carneiro disse que "é preciso respeitar o acordo que foi assumido com o PSD", para uma decisão que "deve merecer amplo consenso nacional".

"[Essa decisão] vai responsabilizar vários governos no futuro, porque é uma obra que vai demorar o seu tempo e por isso disse que devemos evitar precipitações. E é isso que eu procurei fazer, evitar precipitações num tema tão relevante para o país", acrescentou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J C Cruz Pinto
    10 dez, 2023 Ílhavo 07:38
    Não pode nem deveria haver, mas houve e ainda há. Peçam responsabilidades aos idiotas que venderam como venderam (ou, melhor, deram) a ANA aos seus actuais concessionários, "pagando-lhes" até por isso.
  • Americo
    09 dez, 2023 Leiria 20:21
    Contratos, JLC, sabe o que é isso? Bom ainda bem.

Destaques V+