Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Pedro Nuno Santos defende eliminação do cargo de representante da República nas regiões autónomas

05 dez, 2023 - 21:12 • Lusa

O candidato à liderança do PS classificou o cargo de representante da República como "figura ultrapassada", sublinhando que a autonomia foi um dos instrumentos mais importantes para o desenvolvimento das duas regiões insulares e, por isso, "tem que ser cuidada".

A+ / A-

O candidato à liderança do PS Pedro Nuno Santos defendeu esta terça-feira a eliminação do cargo de representante da República para as regiões autónomas e salientou que a Madeira e os Açores "acrescentam Portugal" através da zona económica exclusiva.

"Nós não queremos substituir [o representante da República] por outro nome, como mandatário da República, mas sim eliminar, porque obviamente a Madeira e os Açores não são colónias, são regiões de Portugal", disse.

Pedro Nuno Santos falava no Funchal, Madeira, no âmbito de um encontro com militantes e simpatizantes do PS, que contou com a participação do recém-eleito presidente da estrutura regional do partido, Paulo Cafôfo.

O candidato à liderança do PS classificou o cargo de representante da República como "figura ultrapassada", sublinhando que a autonomia foi um dos instrumentos mais importantes para o desenvolvimento das duas regiões insulares e, por isso, "tem que ser cuidada".

"A Madeira, tal como os Açores, acrescentam Portugal e nós temos uma zona económica exclusiva que é das maiores do mundo fruto das nossas duas regiões autónomas", declarou.

Pedro Nuno Santos disse ainda que uma futura Lei do Mar não pode ignorar a experiência e o conhecimento dos dois arquipélagos ao nível da sua gestão e defendeu que as regiões devem participar na definição da estratégica para o mar.

Às eleições diretas socialistas, agendadas para 15 e 16 de dezembro, apresentaram-se até agora três candidatos: o ex-ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos, o atual ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, e Daniel Adrião, dirigente da linha minoritária de oposição ao atual secretário-geral, António Costa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    05 dez, 2023 PORTUGAL 21:36
    Outro" PUTIN " à vista, não duvidem um milímetro. Falam do Chega. Este Senhor, estou a ser educado, antes de ir a eleições está a DIZER-NOS que se um dia CHEGAr ao poder DESTRUIRÁ a Nação Portuguêsa. Aos Senhores Jornalistas e Comentadores aconselho a ESTUDAREM o pensamento dele. Amanhã não digam que NÃO FORAM alertados.

Destaques V+