Tempo
|
A+ / A-

PSD quer eleições antecipadas nos Açores. "Mais vale antecipar uma decisão do povo"

30 nov, 2023 - 17:26 • Susana Madureira Martins

José Manuel Bolieiro entende que apresentar uma nova proposta "será um ato inútil", aponta a data de 4 de fevereiro para as eleições na região e anuncia coligação do PSD com o CDS e o PPM.

A+ / A-

O presidente do governo regional dos Açores, o social-democrata José Manuel Bolieiro, quer eleições antecipadas na região autónoma, por entender que não existe garantia de aprovação de um segundo orçamento para 2024.

Após audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o líder do executivo açoriano e representante do PSD afirmou que uma nova proposta será um “ato inútil” e que o melhor é não perder tempo.

“Mais vale antecipar uma decisão do povo e, portanto, sugeri ao Presidente da República eleições antecipadas o mais rapidamente possível”, afirmou Bolieiro, referindo que Marcelo não ouviu “garantias de aprovação” da segunda proposta de orçamento após audições com os partidos.

O chefe de governo regional aponta a data de 4 de fevereiro para as eleições na região e anuncia também que o PSD irá a votos em coligação com o CDS e o PPM.

“Sim, vamos partir para uma eleição legislativa regional em coligação: PSD, CDS e PPM. Com vontade de ganhar e de assegurar estabilidade governativa”, afirmou José Manuel Bolieiro.

IL, Bloco e CDS querem eleições antecipadas

As “garantias de aprovação” que Marcelo não ouviu durante as audições foram bastante audíveis.

Ao Presidente da República, o vice-presidente do governo regional Artur Lima, do CDS, considerou que “não vale a pena perder mais tempo” e que o melhor é avançar para eleições o mais rapidamente possível.

Já Vasco Cordeiro, líder parlamentar e presidente do PS/Açores, indica que a data para umas novas eleições está balizada pelos estatutos, que deverá ser convocada para dentro dos 60 dias após a dissolução do Parlamento, referindo que o início de fevereiro é "uma boa data".

A IL/Açores defendeu a dissolução da Assembleia Legislativa e a realização de eleições regionais a 4 ou 11 de fevereiro, acusando José Manuel Bolieiro de não ser um “homem de confiança”.

"Nós já negociámos três vezes, das três vezes José Manuel Bolieiro [presidente do Governo Regional dos Açores] não cumpriu, não dá confiança. Não é um Governo de confiança, José Manuel Bolieiro não é amigo dos açorianos, nem é um homem de confiança", salientou Nuno Barata, deputado da Iniciativa Liberal.

Também o Bloco de Esquerda pediu eleições na data “o mais breve possível”.

O PPM defendeu novas eleições, dada a "inevitabilidade" de um chumbo de uma segunda versão do orçamento para a região.

Já o PAN/Açores anunciou que se vai voltar a abster numa segunda versão do Orçamento Regional por considerar que este documento não trará nada de novo.

O deputado Carlos Furtado, ex-Chega, assegurou que voltará a votar a favor de um “orçamento semelhante”, e que sempre "fará parte da solução".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria
    30 nov, 2023 Palmela 18:05
    Pensava que as eleicoes nos acores eram na mesma altura das de ca!

Destaques V+