Tempo
|
A+ / A-

Bloco de Esquerda quer “derrotar a direita” e “garantir condições” na habitação e saúde

19 nov, 2023 - 19:03 • Ana Catarina André

Após a mesa nacional do partido, Mariana Mortágua criticou, em conferência de imprensa, “o pântano” em que o PS deixou o país e afirmou que os dois candidatos à liderança dos socialistas, Pedro Nuno Santos e José Luis Carneiro, defendem “uma boa herança da maioria absoluta”

A+ / A-

Mariana Mortágua, líder do Bloco de Esquerda (BE), disse este domingo que o partido quer “derrotar a direita” e “garantir condições” na habitação, na saúde, na educação e nos salários.

“Se o partido socialista deixou o país num pântano, a direita só vai cavar mais fundo esse pântano, com mais políticas contra os serviços públicos, com mais políticas de promiscuidade entre o público e privado, com a entrega do que resta e é nosso ao privado”, disse a coordenadora do BE, na conferência de imprensa que decorreu em Lisboa, no final da mesa nacional do partido.

Questionada sobre as eleições internas no PS, a líder do Bloco de Esquerda criticou o discurso dos dois candidatos socialistas – Pedro Nuno Santos e José Luis Carneiro –, que, perante a atual “crise social”, defendem uma “boa herança da maioria absoluta”.

"Essa é a garantia de mais crise, de mais instabilidade e no limite é também nessa instabilidade que a extrema-direita cresce”, disse. E acrescentou: “O que vejo é esses candidatos a assumirem toda a herança do PS, como se se tratasse de uma simples sucessão, como se o país não estivesse mergulhado numa crise social à qual é preciso dar resposta”.

Segundo Mariana Mortágua, o BE quer ter “uma palavra a dizer no pós-eleições, que determine as políticas que irão para a frente em Portugal.

“O caminho do pós-eleições é um caminho que ou é capaz de dizer a alguém, que agora não consegue encontrar uma casa, que vai poder encontrá-la; ou é um caminho que vai dizer aos médicos que estão a abandonar o SNS que têm condições para ali ficar; ou é um caminho que diz às pessoas que estão a receber o salário mínimo que têm um horizonte de futuro; ou então não é caminho nenhum", defendeu.

E acrescentou: “Dizer às pessoas que o caminho da estabilidade é o mesmo PS da maioria absoluta que trouxe uma crise política e social ao país é enganar as pessoas”.

O Bloco de Esquerda vai apresentar em dezembro os candidatos às próximas legislativas e, segundo Mariana Mortágua, “as principais propostas já são conhecidas”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+