Tempo
|
A+ / A-

OE 2024

Eurico Brilhante Dias. "Há riscos, mas teremos saldo positivo em 2024"

30 out, 2023 - 09:33 • André Rodrigues

Líder parlamentar do PS garante que convulsão geopolítica representa um risco, mas não vai pôr em risco as previsões de saldo positivo das contas nacionais no próximo ano. Já Miranda Sarmento, do PSD, acusa governo de ter conseguido folga orçamental à custa de "impostos máximos e serviços mínimos".

A+ / A-

O PS garante que a incerteza motivada pela conjuntura geopolítica internacional não vai pôr em causa a recuperação de rendimentos, nem o saldo positivo das contas nacionais.

A poucas horas do início da discussão na generalidade da proposta de Orçamento do Estado para 2024, o líder parlamentar socialista responde aos receios manifestados, na última semana, pelo Conselho das Finanças, que alertava para riscos e para a não concretização de algumas das medidas e das previsões inscritas na proposta do Governo.

Em particular, o Conselho das Finanças Públicas admite que o excedente de 0,2% do PIB pode, no limite, não se concretizar.

Confrontado pela Renascença com estes avisos, Eurico Brilhante Dias reconhece que "há riscos, mas, acima de tudo, há uma estratégia que nos permite hoje anunciar ao país que reforçamos rendimentos, mas que teremos um saldo positivo em 2024" que será utilizado para apoiar as famílias que mais necessitam.

Já o líder parlamentar do PSD, Joaquim Miranda Sarmento, diz não ter tantas certezas e lembra que a forma como se alcançou a folga orçamental "está errada", porque foi conseguida à custa dos contribuintes, "cobrando muito mais impostos aos portugueses do que aquilo que até o próprio Orçamento do Estado previa".

Em declarações à Renascença, Miranda Sarmento reconhece que "é importante que haja equilíbrio orçamental, mas é mais importante que o país consiga um equilíbrio orçamental que não seja à conta de impostos máximos e de serviços mínimos".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+