A+ / A-

Montenegro considera OE 2024 "pipi, bem apresentadinho e muito betinho"

11 out, 2023 - 00:04 • Lusa

Dizendo que não esperava "grande novidade" do documento, Montenegro considerou que mesmo as "maiores piruetas que se possam dar na política pública já não são suficientes para quebrar aquela que tem sido a nota dominante do Governo do PS" que passa por impostos máximos e serviços mínimos.

A+ / A-

O presidente do PSD considerou esta terça-feira que o Orçamento do Estado para 2024 (OE2024) é "pipi, bem apresentadinho e muito betinho que parece que faz, mas não faz" porque tem "impostos máximos e serviços mínimos".

"É assim uma espécie, mais uma vez, de um orçamento pipi, de um orçamento que aparece bem vestidinho, muito apresentadinho, mas que é só aparência, é assim muito betinho, parece que faz, mas não faz, apresenta objetivos, apresenta ideias, mas depois não concretiza nada", afirmou Luís Montenegro, na intervenção de abertura do Conselho Nacional do PSD, que decorre na Maia, no distrito do Porto.

Num discurso de cerca de meia hora, o social-democrata acrescentou que o OE2024 é "um fato que o doutor António Costa com aquele sorriso de sempre apresenta todos os anos".

E acrescentou: "Primeiro com o doutor Centeno, agora com o doutor Medina, mas sempre com a mesma carga, sempre com a mesma incapacidade de suprir aquela que é a realidade que é cobrar, cobrar e cobrar impostos e desinvestir, desinvetir, desinvestir".

Dizendo que não esperava "grande novidade" do documento, Montenegro considerou que mesmo as "maiores piruetas que se possam dar na política pública já não são suficientes para quebrar aquela que tem sido a nota dominante do Governo do PS" que passa por impostos máximos e serviços mínimos.

E é isso que, na sua opinião, vai acontecer no próximo ano.

"Eu bem sei que este dia [de entrega do OE] é sempre um dia muito singular, aparece sempre assim um documento muito bem ilustrado, o PS é ótimo a fazer powerpoint, eu diria mesmo imbatível", referiu.

Segundo o presidente do PSD, o orçamento "é um embrulho e uma demagogia" que, durante semanas, anda a ser "embelezado com fugas seletivas de informação para os jornais".

"Amanhã já sabemos, não vão todos dizer o mesmo, um diz a classe média vai ter até ao quinto escalão não sei o quê e o outro vai dizer as famílias que têm filhos em idade de creche vão ter mais não sei quantas. Eles fazem isso muito bem, eles são mestres nessa propaganda", sublinhou.

Só que "essa propaganda" não resolve os problemas, aparenta resolver, mas não resolve, vincou.

Reafirmando que o documento é uma "pura brincadeira, pura demagogia e puro oportunismo político", Montenegro assumiu não haver nenhuma razão para os portugueses confiarem num Governo que não fez nada em oito anos daquilo que promete fazer agora em 2024.

"Alguém acredita que este orçamento vai dar um médico de família que faz falta a mais de 1,6 milhões de portugueses? Alguém acredita que é este orçamento que vai resolver finalmente o problema da incapacidade de termos consultas atempadas e cirurgias atempadas no Serviço Nacional de Saúde?", questionou.

O Governo apresentou hoje o OE2024 que revê em alta o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2023, de 1,8% para 2,2%, e em baixa de 2,0% para 1,5% no próximo ano.

A proposta de OE2024 será discutida e votada na generalidade nos dias 30 e 31 de outubro, estando a votação final global agendada para 29 de novembro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadania
    11 out, 2023 lisboa 18:00
    Um político tem de ter o dom da oratória, tem de saber convencer pelo exemplo, pela demonstração de capacidades, de conhecimento, de visão de futuro. Este "líder" do PSD tem zero talento político, o discurso é uma enxurrada de lugares comuns, do que já se ouve há 30 anos. Não há um rasgo, uma inovação. Nem é culto, nem prosaico. Mas aqui em Portugal parece que qualquer um pode ser político. Admiro-me é em 80 mil militantes não haver ninguém que diga que o rei vai nu...
  • ze
    11 out, 2023 aldeia 07:22
    A sua incoerência acompanhada com a falta de carisma, vai levar este psdêzinho a perder cada vez mais votos, irá passar para a 3ªforça politica no Parlamento.

Destaques V+