A+ / A-

Rui Rocha. Mais Habitação "é um mau pacote"

21 ago, 2023 - 12:33 • Daniela Espírito Santo

"O melão está aberto e o que Marcelo diz ao país é que não encontrou um melão, mas uma abóbora ou um pepino", diz líder da IL.

A+ / A-

Rui Rocha, presidente da comissão executiva da Iniciativa Liberal, já comentou o veto de Marcelo Rebelo de Sousa ao Programa Mais Habitação. Em declarações aos jornalistas, esta segunda-feira, Rui Rocha diz acreditar que veto de Marcelo é "uma decisão natural" e relembra a expressão utilizada há seis meses para falar desta iniciativa, que comparou a medida a um melão. "O melão está aberto e o que o Presidente da República diz ao país é que não encontrou um melão, encontrou uma abóbora ou um pepino".

"Todo este pacote mais habitação tem consequências nefastas para a questão da habitação em Portugal", reforça, defendendo que "esta não é a forma de resolver os problemas da habitação no país".

"Há o tempo da política e o tempo da realidade e a realidade já respondeu: desde que foi apresentado [o Programa Mais Habitação] o investimento em habitação em Portugal diminuiu", indica. Para Rui Rocha, esta medida "minou a confiança dos investidores e dos agentes económicos", o que resultou em "menos oferta".

"Este pacote não é solução. Pelo contrário, piora a situação em Portugal e prejudica quem precisa de encontrar habitação", remata o líder da Iniciativa Liberal, para quem este é um "bom exemplo do que seria um Bloco de Esquerda a governar".

Para Rocha, agora é preciso "restaurar a confiança dos investidores", mas não acredita que tal se venha a verificar. O liberal assevera que o PS vai avançar com a aprovação do programa e, por isso, "estamos perante um desafio de António Costa e do PS ao país e aos portugueses", porque "este é um mau pacote".

"É um pacote que vai prejudicar os portugueses", remata.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+