Tempo
|
A+ / A-

Presidente da República promulga diploma sobre carreira dos professores

21 ago, 2023 - 11:03 • Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa tinha vetado a primeira versão.

A+ / A-

O Presidente da República promulgou esta segunda-feira o diploma do Governo sobre a progressão dos professores, que foi reformulado depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter vetado a primeira versão.

"Atendendo à abertura, incluindo na presente legislatura, constante das últimas versões dos diplomas, para a questão da contagem do tempo de serviço, o Presidente da República promulgou o diploma do Governo que estabelece um regime especial de regularização das assimetrias na progressão na carreira dos educadores de infância e dos professores dos ensinos básico e secundário dos estabelecimentos públicos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário", divulgou o Palácio de Belém.

Na mesma nota divulgada no site da Presidência indica-se que o Presidente da República promulgou também "o diploma do Governo que define uma medida especial de aceleração do desenvolvimento das carreiras dos trabalhadores com vínculo de emprego público".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ex-prof
    21 ago, 2023 Felizmente 15:45
    Como de resto era evidente e bastou uma frasezeca de “possibilidade ” de abertura de negociações – e todos sabemos o que entende o PS por negociações – nesta ou na próxima Legislatura, para o tira-selfies – ou deverei chamar-lhe o “promulgo, mas …”? – de Belém correr a promulgar. Sempre disse que não podemos contar com esta farsa de "presidente". Eu gostaria de poder dizer “só podemos contar connosco”, mas até nisso e depois do que vi no ano passado, tenho muitas dúvidas. Então que fazer? Continuo a pensar que ir a Tribunal Constitucional não só pelas diferenças entre Açores/Madeira e Continente, como na existência de serviços mínimos na Educação é o caminho a seguir. Mas ao que parece, isso não está na agenda Sindical. E manifs, “acampamentos”, e os “fait divers” que se multiplicaram para esconder o fracasso sindical, não resultaram, nem vão resultar. A solução estaria na luta feroz da classe docente. Mas esta por esta ou aquela razão, esta prefere dispersar-se em milhentas iniciativinhas pífias destinadas a fracassar, em vez de lutar como lutaram os do AL, e quando assim é…

Destaques V+