A+ / A-

IL. Nuno Morna é cabeça de lista nas eleições regionais da Madeira

02 jul, 2023 - 13:14 • Lusa

Candidatura do coordenador do núcleo da Iniciativa Liberal na Madeira foi aprovada este domingo, em reunião do Conselho Nacional dos liberais.

A+ / A-

O coordenador do núcleo da Madeira da Iniciativa Liberal (IL), Nuno Morna, vai ser o cabeça de lista do partido nas eleições legislativas na região, que se realizam entre setembro e outubro, foi divulgado este domingo.

A candidatura foi aprovada em reunião do Conselho Nacional da IL, que está a decorrer por via remota, e anunciada à Lusa em comunicado.

"Tem como objetivo muito claro demonstrar que a Iniciativa Liberal é a força política que renovará a Madeira, trazendo mais liberdade, prosperidade e qualidade de vida à região autónoma", refere o partido.

O programa eleitoral será apresentado pela IL no próximo domingo na Madeira, numa iniciativa que contará também com a presença do presidente Rui Rocha.

Quem é Nuno Morna?

De acordo com o comunicado dos liberais, Nuno Morna tem 61 anos, é filho de pai madeirense e mãe beirã, membro fundador do partido e fundador do núcleo da Madeira, que coordena. Foi membro do Conselho Nacional e, atualmente, integra a Comissão Executiva da Iniciativa Liberal.

Nuno Morna foi ainda cabeça de lista nas eleições regionais da Madeira em 2019 e número três da lista nacional da Iniciativa Liberal nas europeias desse ano, bem como candidato à Câmara Municipal de Santa Cruz em 2021.

"Com quarenta anos de experiência como ator, produtor teatral e programador, foi fundador da Companhia de Teatro da Madeira. É atualmente técnico de aeronáutica na NAV", refere ainda o partido, que aponta como objetivo para estas eleições "alcançar representação parlamentar na Madeira".

Em comunicado, a IL recorda que uma das suas bandeiras na Madeira tem sido a defesa do voto antecipado e em mobilidade, tendo desafiado as forças com representação na Assembleia Legislativa Regional a proporem essa alteração legal, uma iniciativa que foi proposta pelo PCP/Madeira e 'chumbada' esta semana.

Reformar saúde, aumentar rendimentos das famílias e combate à corrupção como pilares

Como pilares da sua candidatura, Nuno Morna destaca a reforma do Sistema Regional de Saúde, o aumento dos rendimentos líquidos das famílias e empresas - por via da redução do IRS e do IRC para os mínimos legais possíveis - e prometer dar "grande enfoque ao combate à corrupção, promovendo a adoção de instrumentos de maior transparência política".

"A Região Autónoma da Madeira merece mais do que tem tido nestes últimos anos e será com o Liberalismo que será possível ter uma região mais moderna, com oportunidades para todos", refere o candidato.

No comunicado enviado à Lusa, o presidente da IL, Rui Rocha, considera que há "uma grande ande disponibilidade dos madeirenses para ouvirem as propostas liberais, para perceberem aquilo que o partido defende para a região autónoma e para a sua população em várias áreas".

"Daqui a poucos meses, os madeirenses e porto-santenses vão contar com a voz da Iniciativa Liberal na Assembleia Legislativa Regional para defender os seus interesses e não os interesses de quem governa há anos sem trazer prosperidade e um desenvolvimento sustentável", sublinha.

De acordo com a Lei Eleitoral da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, as eleições terão de se realizar entre dia 22 de setembro e 14 de outubro e serão marcadas pelo Presidente da República com a antecedência mínima de 60 dias (ou, em caso de dissolução, com a antecedência mínima de 55 dias).

O PSD e o CDS-PP já anunciaram que vão concorrer juntos, renovando a coligação que governa a região desde 2019. Atualmente, o PSD tem 21 dos 47 deputados da Assembleia Legislativa da Madeira, o CDS-PP três, o PS 19, o JPP três e o PCP tem um deputado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+