Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

JMJ. Ministra admite tolerância de ponto para funcionários públicos

29 jun, 2023 - 17:59 • Diogo Camilo

Ana Catarina Mendes disse que solução tomada pela Câmara Municipal de Lisboa é "útil" para quem queira ver o Papa Francisco. Governante diz estar "tranquila" com a divulgação do plano de mobilidade da Jornada Mundial da Juventude e que plano de segurança será apresentado a 15 de julho.

A+ / A-
Entrevista a Ana Catarina Mendes
Ouça a entrevista a Ana Catarina Mendes

Ana Catarina Mendes admite estender a tolerância de ponto concedida em Lisboa a todos os funcionários públicos, de maneira a participarem na Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que se realiza entre os dias 1 e 6 de agosto.

Em entrevista à Renascença, durante uma emissão especial dedicada à JMJ, a ministra adjunta e dos Assuntos Parlamentares disse que esta solução, aliado ao teletrabalho durante essa semana pode ser “útil”.

“Vamos ver, pode eventualmente ser útil. Estamos a estudar quais são as hipóteses. Temos que pensar que, além dos inscritos, há todos aqueles que gostariam de se juntar às missas de Sua Santidade, o Papa”, disse a governante, com a tutela da preparação da JMJ.

Ao contrário dos autarcas de Lisboa e Loures, Ana Catarina Mendes diz estar “tranquila” com o trabalho que está a ser feito e lembrou que o plano de mobilidade e transportes da jornada é divulgado dia 14 de julho - e o plano de segurança um dia depois.

“Posso assegurar que, da parte do Governo, as coisas estão a ser feitas. Mais do que a apresentação, estou tranquila com o trabalho que está a ser feito por uma empresa que é experiente neste tipo de trabalhos”, disse, mencionando a VTM, empresa que realizou o plano.

A governante deu ainda os exemplos das Jornadas Mundiais da Juventude do Panamá e de Espanha, em Madrid, em que o plano de mobilidade foi divulgado, respetivamente, 10 e 6 dias antes do evento.

Ana Catarina Mendes defendeu que os planos estão a ser articulados com as forças de segurança e as autarquias e que existem reuniões semanais mais técnicas com a empresa.

Não falando sobre questões como o possível fecho do Eixo Norte-Sul, a governante deixou a garantia de que essas questões “estão a ser vistas com quem tem que ser visto” e que, “assim que houver certeza, será comunicado”.

Ainda assim, Ana Catarina Mendes diz que a situação das greves a “preocupa” e que espera que não aconteçam greves. Sobre uma possível intervenção do Governo para evitar greves, disse: “Cada coisa a seu tempo.”

A ministra indicou também que a JMJ será um “bom cartão de visita de tudo o que há de melhor do país”. “A jornada não se cinge a Lisboa. Será o palco para vários eventos, mas esta é a oportunidade para visitar todo o país”, disse.

Sobre a possibilidade do Parque Tejo se poder vir a chamar Parque Papa Francisco, Ana Catarina Mendes disse que deixa “a toponímia para as câmaras municipais”.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+