Tempo
|
A+ / A-

Parlamento

IL pede debate de urgência sobre a Jornada Mundial da Juventude

28 jun, 2023 - 20:06 • Lusa

Câmara de Lisboa manifestou "alguma ansiedade" por ainda não ter sido apresentado o plano de mobilidade para a JMJ, que decorre entre 1 e 6 de agosto.

A+ / A-

A Iniciativa Liberal (IL) pediu esta quarta-feira ao presidente da Assembleia da República a marcação de um debate de urgência para o dia 4 de julho sobre a Jornada Mundial da Juventude (JMJ 2023).

No ofício enviado a Augusto Santos Silva, solicita-se a marcação de um debate de urgência sobre a Jornada Mundial da Juventude, sublinhando-se que o Regimento do parlamento permite, em cada quinzena, a realização de um "debate de urgência a requerimento potestativo de um grupo parlamentar".

Hoje, o vice-presidente da Câmara de Lisboa Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP) manifestou "alguma ansiedade" por ainda não ter sido apresentado o plano de mobilidade para a Jornada Mundial da Juventude, responsabilidade do Governo, e considerou inadequado o estacionamento de autocarros no Eixo Norte-Sul.

Lisboa foi a cidade escolhida pelo Papa Francisco para a próxima edição da Jornada Mundial da Juventude, que vai decorrer entre os dias 1 e 6 de agosto deste ano, com as principais cerimónias a terem lugar no Parque Eduardo VII e no Parque Tejo, a norte do Parque das Nações, na margem ribeirinha do Tejo, em terrenos dos concelhos de Lisboa e Loures.

As JMJ nasceram por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

A edição deste ano, que será encerrada pelo Papa, esteve inicialmente prevista para 2022, mas foi adiada devido à pandemia de covid-19.

São esperados cerca de 1,5 milhões de pessoas, quase três vezes a população da cidade de Lisboa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+