Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

"É um disparate", diz Ventura sobre relatório que considera Chega vetor para movimentos mais radicais

27 jun, 2023 - 20:54 • Redação com Lusa

O relatório norte-americano compara o partido de André Ventura a grupos da extrema-direita como os "Proud Boys" ou os "Hammerskins".

A+ / A-

O presidente do Chega, André Ventura, considerou, esta terça-feira, que o relatório que considera que o partido tem sido um vetor comum para "movimentos mais radicais da extrema-direita portuguesa" é um "disparate".

"À seriedade o que é sério, ao disparate o que é disparate. Estamos a falar de uma ONG [organização não governamental] que tem duas pessoas", afirmou aos jornalistas André Ventura, em Pedrógão Grande, no norte do distrito de Leiria, onde hoje marca presença na cerimónia de homenagem às vítimas dos incêndios de 2017.

No relatório, elaborado pelo Projeto Global contra o Ódio e Extremismo (GPAHE, na sigla em inglês), dos Estados Unidos, identificam-se 13 "grupos de ódio e extremistas" em Portugal, incluindo o Chega e o Ergue-te, mas também movimentos neonazis e supremacistas brancos como os "Portugal Hammerskins" ou os "Proud Boys Portugal".

Neste universo, o Chega é quem domina "cada vez mais" a extrema-direita portuguesa, indica o relatório, que salienta que o partido tem "trabalhado para envenenar o discurso nacional com uma retórica racista, anti-LGBTQ+, anti-imigração e anticiganos".

O líder do Chega ironizou que "amanhã o Chega também pode constituir uma associação qualquer, em Espanha, na Finlândia, na Suécia, e dizer que o Bloco de Esquerda é um perigo para a democracia".

"E depois publicamos isso e dizemos "ah, estão a ver, está aqui um grande perigo", considerou.

Lembrando que o Chega é um partido político inscrito no Tribunal Constitucional, além de que é o terceiro maior, André Ventura considerou que "isto é desrespeitar os eleitores".

Para André Ventura, o objetivo deste relatório é "atingir os mesmos partidos de sempre (...), os partidos que estão a crescer pela Europa".

"O objetivo é sempre claro, é quando os partidos começam a crescer vamos tentar destruí-los. Como? Com o fantasma da extrema-direita, com o fantasma do racismo", adiantou.

Relatório diz que Chega mobiliza movimentos radicais de extrema-direita

"O Chega, que superficialmente se assemelha aos típicos partidos populistas de extrema-direita de toda a Europa, também é o vetor comum para movimentos mais radicais da extrema-direita portuguesa, incluindo nacionalistas, identitários, conspiracionistas, supremacistas brancos, nostálgicos de Salazar, nacionalistas cristãos e outros que apoiam o autoritarismo", lê-se no relatório.

O relatório refere que, durante a pandemia, floresceram "movimentos conspiracionistas e antigovernamentais de extrema-direita" em Portugal que, com o fim da crise sanitária, estão passaram para a órbita de partidos como o Chega e o Ergue-te.

Acrescenta-se ainda que, ao longo dos anos, o Chega "teve entre as suas fileiras muitos supremacistas brancos, identitários e neonazis".

Neste contexto, o relatório considera que a ascensão do partido liderado por André Ventura "foi acompanhada por um aumento significativo no discurso de ódio e mobilização de rua da extrema-direita", citando um memorando do comissário do Conselho da Europa para os Direitos Humanos que indica que há um nível "alarmantemente alto" de violência contra as mulheres em Portugal, assim como um aumento de "crimes de ódio motivados racialmente".

O relatório salienta também que está em curso uma "tendência de internacionalização" na extrema-direita portuguesa, com a reprodução de teorias da conspiração populares em movimentos estrangeiros de direita radical.

"Onde antes o nacional-socialismo, a fidelidade ao regime salazarista ou as visões lusotropicalistas do império português dominavam grande parte da extrema-direita pós-25 de Abril, hoje a extrema-direita portuguesa bebe cada vez mais dos movimentos neofascistas franceses, italianos, identitários franceses e até de supremacistas brancos americanos", refere-se.

Analisando depois especificamente o Chega, o relatório caracteriza o partido como sendo "altamente centralizado" na figura de André Ventura, "extremamente anti-imigração e contra muçulmanos" e com um "ódio especial ao povo cigano".

"A rápida ascensão do Chega é um aviso de que nenhum país é verdadeiramente imune a forças demagógicas excludentes e que minúsculos partidos de extrema-direita podem expandir rapidamente a sua base de apoio", alerta-se.

No que se refere à juventude do Chega, o relatório indica que tem "membros mais radicais" do que os do partido, com alguns a apoiarem "a supremacia branca ou a misoginia", a "elogiarem o regime salazarista" e a "defenderem o fascismo".

O GPAHE é um projeto lançado em 2020 e que, segundo se pode ler no seu "site", vista "colmatar a lacuna que existe nos esforços para pôr termo aos movimentos transnacionais de ódio e de radicalismo de extrema-direita".

Até ao momento, o GPAHE já publicou estudos sobre o extremismo de direita em Portugal, França, Irlanda, Austrália e Bulgária.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ester Higgs
    28 jun, 2023 Valença 13:11
    Os medrosos acomodados/corruptos/medrosos assustam se com as verdades ditas por A.Ventura,pois nunca houve uma Alma em Portugal desassombro com o A. V. ACHAM tanta fartura de verdades que os esquerdinos atacam pois não querem gente erudita e sem medo. Então é mais cómodo dizerem que é. Extrema direita a wue toda a gente foge porque se lembram dos nazis no.tempo de Hitler.
  • Victor
    28 jun, 2023 Paraná 10:43
    Já publicou estudos sobre o extremismo da esquerda,Cuba,Venezuela,Coreia do Norte,Rússia,China etc .Sejam sérios

Destaques V+