Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

Marcelo considera injusto punir classe por radicalização de grupo "muito pequeno" de professores

12 jun, 2023 - 23:15 • Lusa

Presidente da República diz que no 10 de Junho também viu t-shirts com mensagens alusivas a si e não se sentiu ofendido porque "não ofende quem quer, ofende quem pode".

A+ / A-

O Presidente da República defendeu hoje que é injusto punir uma classe pela conduta de um grupo "muito pequeno" de professores que "radicalizaram o seu comportamento", acrescentando que "não ofende quem quer, ofende quem pode".

"Acho que não se pode confundir uma minoria muito pequena de professores que tenham radicalizado o seu comportamento, mas há muito que digo que há um risco para um setor minoritário dos professores que é radicalizar os ataques", referiu Marcelo Rebelo de Sousa, depois de questionado à margem das marchas populares de Lisboa sobre a polémica em torno dos cartazes exibidos durante um protesto de professores que aproveitaram o 10 de Junho para se manifestarem no Peso da Régua e que António Costa considerou "um pouco racistas".

Para Marcelo Rebelo de Sousa, a "maioria esmagadora dos professores, não tem nada a ver com aquilo que seja o comportamento de uma minoria", lembrando que também estava no Peso da Régua e que viu "em 200 professores (...) 20 ou 30 com determinado tipo de comportamento".

O Presidente da República sublinhou que seria injusto "punir uma classe pela conduta de um grupo muito pequeno dentro de uma classe".

"O governo é o primeiro a saber que ao examinar-se a questão dos professores, não é isso que serve de argumento para ter uma posição mais ou menos favorável aos professores", frisou.

Questionado sobre se as imagens dos cartazes presentes no protesto eram racistas, o chefe de Estado referiu que "não ofende quem quer, ofende quem pode".

"Isso significa que só há verdadeiramente ofensa, quem tem estatuto para ofender. Estatuto significa que, verdadeiramente, quando faz o que faz, está a pensar num bem maior", acrescentou.

Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda que no protesto dos professores no 10 de Junho também viu t-shirts com mensagens alusivas a si, garantindo que não se sentiu ofendido.

"Isso não foi falado mas estavam lá. (...) A mim não me ofendem, porque não é quem quer, é quem pode", apontou.

Ao chegar ao local das cerimónias oficiais militares do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas que, este ano decorreram na cidade da Régua, distrito de Vila Real, a mulher do primeiro-ministro, Fernanda Tadeu, exaltou-se com alguns dos comentários dos professores em protesto.

Inicialmente, António Costa pediu à mulher para não responder aos comentários, mas depois virou-se para trás e gritou "racista", visivelmente exaltado.

Mais tarde, em declarações aos populares que o esperavam, o primeiro-ministro considerou que os protestos fazem "parte da liberdade e da democracia".

"Com melhor gosto, com pior gosto, com estes cartazes um pouco racistas, mas pronto, é a vida", frisou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Sara
    13 jun, 2023 Lisboa 13:23
    As pessoas têm que deixar de ter medo, assumam, em frente , o Costa faz se de vítima, por isso abriu as portas
  • Mário Rui Simões Rod
    12 jun, 2023 Leiria 23:07
    Revogação de todos os programas... Ensino reduzido a resuminhos, as ditas "aprendizagens essenciais"... Exames nacionais suprimidos a quase todas as disciplinas... Os poucos exames e provas de aferição que se fazem têm um grau de dificuldade zero... Professores obrigados a passar os alunos todos... Milhares de professores em falta nas escolas, principalmente por causa da perseguição costista... É isto que os Costas deram aos vossos filhos e netos! Olhem o vosso futuro. Quem vai assegurar as vossas pensões de reforma?...

Destaques V+