Tempo
|
A+ / A-

Mário Centeno: “Não havia nenhuma referência à TAP na pasta de transição”

05 jun, 2023 - 19:03 • Manuela Pires

"Dos fundos Airbus, nenhum conhecimento existiu no momento da transição", referiu o antigo ministro das Finanças, na comissão parlamentar de inquérito.

A+ / A-

Mário Centeno, o antigo ministro das Finanças, garante que “não havia nenhuma referência à TAP na pasta de transição” quando tomou posse.

“A pasta de transição na dimensão TAP era inexistente”, declarou Mário Centeno, na comissão parlamentar de inquérito (CPI) à gestão da TAP.

Mário Centeno foi ministro das Finanças do Governo de António Costa, após a privatização da TAP decidida pelo anterior executivo de Pedro Passos Coelho.

“Nem ‘pens’, nem dossiers, não havia nenhuma referência à TAP na pasta de transição. Dos fundos Airbus, nenhum conhecimento existiu no momento da transição, porque não foi feita nenhuma referência a nenhuma matéria sobre a TAP”, sublinhou o antigo ministro das Finanças.

Nestas declarações na comissão parlamentar de inquérito, Mário Centeno referiu que, “na verdade, ao contrário das cartas de conforto, só fui confrontado com ela quando muito recentemente a comunicação social chamou à atenção para isso”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+