Tempo
|
A+ / A-

Ministra da Justiça diz que Galamba a contactou para alertar PJ sobre computador

17 mai, 2023 - 13:13 • Lusa

A governante salientou que João Galamba foi a única pessoa com quem falou.

A+ / A-

A ministra da Justiça afirmou esta quarta-feira que recebeu um telefonema do ministro das Infraestruturas para estabelecer um contacto com a Polícia Judiciária sobre o alegado roubo de um computador por um ex-adjunto de João Galamba.

"Eu confirmo, de facto, que o senhor ministro das Infraestruturas nesse dia me ligou. Confirmo também que o teor da conversa foi sobre a Polícia Judiciária (PJ). Isto é, foi uma conversa curta, que durou dois minutos. Foi a duração da conversa com o senhor ministro", afirmou Catarina Sarmento e Castro.

A ministra da Justiça falava numa audição na comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, sobre o "contexto e enquadramento legal da intervenção do Serviço de Informações e Segurança (SIS) na recuperação do equipamento informático e documentos classificados" na posse de um ex-adjunto do ministro das Infraestruturas.

Após ter sido questionada pelo líder parlamentar do Chega, Pedro Pinto, sobre o seu envolvimento neste caso, Sarmento e Castro disse que João Galamba lhe telefonou, por volta das 23:00, no dia 26 de abril, para que a ministra o pusesse em contacto com a PJ.

"O senhor ministro estava preocupado, manifestou essa preocupação e pretendia, no fundo, alertar a PJ. E como quem tem a competência é a ministra da Justiça nessa área, naturalmente contactou a ministra da Justiça para que estabelecesse o contacto", frisou.

A governante salientou que João Galamba foi a única pessoa com quem falou e reforçou que o intuito da conversa traduziu-se, "pura e simplesmente, em estabelecer contacto com a PJ", o que disse que fez.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+