Tempo
|
A+ / A-

Marcelo não volta a falar na crise governamental. “Papel do Presidente não é estar a interpretar-se a si próprio”

06 mai, 2023 - 16:27 • Redação

Chefe de Estado não quer voltar ao tema do caso Galamba, mesmo depois do comentário de António Costa às suas declarações.

A+ / A-

O Presidente da República garante que “não tenciona voltar ao tema” da alegada crise governamental após o caso Galamba.

“Falei há dois dias, aquilo que disse, disse, e não tenciono comentar aquilo que os comentadores comentam sobre aquilo que eu disse”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações à RTP.

O Chefe de Estado, que está em Londres para a coroação de Carlos III, acrescentou: “Os portugueses ouviram e naturalmente ouviram atentamente o que ouviram”.

“O papel do Presidente não é estar a interpretar-se a si próprio. Eu faço um grande esforço para ser muito claro, mesmo em matérias complicadas. Faço um esforço para falar de uma maneira que qualquer português percebe o que eu quero dizer”, concluiu.

Marcelo Rebelo de Sousa recordou que teve "uma fase" de vida durante a qual foi comentador, mas argumentou que este não é o momento para o ser: "Esta é a fase de ser responsável político. Como disse, o último fusível de segurança político do sistema", destacou.

O primeiro-ministro assumiu esta sexta-feira que teve uma divergência com o Presidente da República quanto ao caso Galamba, mas classificou-a como "rara" em sete anos de governação, dizendo que é "natural" que aconteça.

"Eu e o Presidente temos uma divergência", começou por declara António Costa aos jornalistas, depois de ontem Marcelo ter deixado um aviso ao Governo numa declaração ao país, na qual anunciou que optou por não demitir o executivo nem dissolver o Parlamento para manter a estabilidade no país.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+