Tempo
|
A+ / A-

Marcelo discorda de "leitura política" de Costa

02 mai, 2023 - 21:27 • Marta Pedreira Mixão

Marcelo salienta que "não pode exonerar um membro do Governo sem ser por proposta do primeiro-ministro".

A+ / A-

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta terça-feira discordar da posição do primeiro-ministro "quanto à leitura política dos factos" que o levaram a manter João Galamba como ministro das Infraestruturas.

Marcelo refere ainda que "não pode exonerar um membro do Governo sem ser por proposta do primeiro-ministro".

A posição é manifestada através de uma nota publicada no site oficial da Presidência da República, depois de António Costa ter anunciado a decisão de não aceitar o pedido de demissão de João Galamba.

"O Ministro das Infraestruturas apresentou hoje o seu pedido de demissão, invocando razões de peso relacionadas com a perceção dos cidadãos quanto às instituições políticas. O Primeiro-Ministro, a quem compete submeter esse pedido ao Presidente da República, entendeu não o fazer, por uma questão de consciência, apesar da situação que considerou deplorável", lê-se na nota.

"O Presidente da República, que não pode exonerar um membro do Governo sem ser por proposta do primeiro-ministro, discorda da posição deste quanto à leitura política dos factos e quanto à perceção deles resultante por parte dos portugueses, no que respeita ao prestígio das instituições que os regem", refere ainda a mesma nota.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    03 mai, 2023 PORTUGAL 10:54
    Como, para justificar a dificuldade governativa, é muita vez dito que foram apanhados e confrontados com uma guerra. Disse o Senhor Primeiro Ministro que a situação do caso COMPUTADOR foi DEPLORÁVEL. VEJAMOS então o seguinte: o Sr.PM é, em termos de GUERRA o General. Tem como comandante o OFICIAL, JG. Em parada, com um Batalhão ( PORTUGUESES ) formado diz que a SITUAÇÃO no QUARTEL é DEPLORÁVEL e um dos causadores É o OFICIAL. Como vai o GENERAL querer ganhar a guerra se os SOLDADOS já não confiam em quem COMANDA? Eu estive na Guerra COLONIAL e saí VENCEDOR.
  • Maria
    02 mai, 2023 Palmela 21:02
    Quem manda e primeiro ministro "comentadores fora ! Fora tambem com o marcelo comentador!

Destaques V+