Emissão Renascença | Ouvir Online
A+ / A-

TAP

TAP: PSD pede a António Costa "explicações públicas" sobre "acontecimentos graves" recentes

29 abr, 2023 - 12:40 • Salomé Esteves

PSD considera que acontecimentos recentes do processo TAP são "graves" e que o primeiro-ministro deve explicações públicas. O partido não exclui a opção de moção de censura

A+ / A-

Miranda Sarmento, líder parlamentar do PSD, disse, em conferência de imprensa, que António Costa deve prestar "todos os esclarecimentos sobre os acontecimentos muito graves que têm acontecido no Governo, em particular com a TAP".

Em causa estão os recentes desenvolvimentos que envolvem o ministro das Infraestruturas João Galamba e o seu adjunto, agora exonerado, Frederico Pinheiro.

Miranda Sarmento referiu as conversas e mensagens de WhatsApp trocadas na última semana entre os dois e que revelaram a existência de notas tiradas na reunião "secreta" entre o grupo parlamentar do PS e a ex-CEO da TAP Christine Ourmières-Widener. Galamba terá impedido a divulgação dessas notas e terá querido "mentir à CPI".

O social-democrata questiona ainda a intervenção dos serviços de segurança para recuperar o computador de Frederico Pinheiro. "Não é compreensível que se tenham chamado os serviços secretos para recuperar um computador" quando um furto normal é tratado pelas autoridades, questionando que informações ou "segredos" tem esse computador, que possam comprometer o Governo.

O PSD não exclui a apresentação de uma moção de censura, apesar de Miranda Sarmento garantir que, neste momento, essa não é uma opção que esteja a ser discutida pelo partido.

O líder parlamentar do principal partido da oposição referiu ainda que “O PSD está sempre preparado para governar” e é “sempre uma alternativa” para governar, assim “que os portugueses entenderem”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+