Tempo
|
A+ / A-

Comissão TAP. Lacerda Sales vai representar PS

19 abr, 2023 - 17:13 • Lusa

Antigo secretário de Estado da Saúde vai substituir Carlos Pereira como membro efetivo da comissão parlamentar de inquérito.

A+ / A-

O deputado do PS António Lacerda Sales vai substituir o socialista Carlos Pereira como membro efetivo da comissão de inquérito à TAP, anunciou hoje o líder parlamentar do partido, Eurico Brilhante Dias.

A semana passada, o então coordenador do PS na comissão de inquérito à TAP, Carlos Pereira, anunciou que iria sair daquele órgão parlamentar para lhe poder dar a "tranquilidade necessária", acabando com o que considerou um "clima de suspeição", após uma notícia de alegado favorecimento do Correio da Manhã.

Hoje, em declarações aos jornalistas, o líder parlamentar do PS disse que Carlos Pereira ainda fará a reunião da comissão de inquérito de hoje à tarde, mas depois entregará a sua carta de saída.

António Lacerda Sales, antigo secretário de Estado Adjunto e da Saúde, vai substituir Carlos Pereira e integrar assim a comissão de inquérito à TAP, acrescentou Eurico Brilhante Dias.

Na semana passada, fonte parlamentar do PS tinha anunciado que o deputado socialista Bruno Aragão será o novo coordenador do partido na comissão de inquérito à gestão da TAP, substituindo Carlos Pereira neste cargo.

Na quinta-feira à noite, Carlos Pereira anunciou que deixaria todas as funções neste órgão parlamentar, após uma notícia de alegado favorecimento do Correio da Manhã.

Em conferência de imprensa no dia seguinte, Carlos Pereira salientou que tomou esta decisão para dar a "tranquilidade necessária" à comissão de inquérito, e acabar com um "clima de suspeição".

O jornal Correio da Manhã noticiou um alegado perdão de parte (66 mil euros) de uma dívida de Carlos Pereira enquanto avalista de uma empresa que faliu em 2015.

O deputado do PS defendeu que "é falso que tenha havido um perdão" da dívida, rejeitando também qualquer tipo de favorecimento ou incompatibilidades por ter participado na comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos, entre 2016 e 2017.

Carlos Pereira rejeitou ainda que tenha decidido sair por antecipar um parecer desfavorável da comissão parlamentar de Transparência relativo à sua participação numa reunião com assessores governamentais e a presidente executiva da TAP na véspera de uma audição parlamentar.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+