Tempo
|
A+ / A-

Montenegro diz que quem critica Lula no Parlamento "não está à altura" de assumir cargos no país

17 abr, 2023 - 10:38 • Manuela Pires

O líder do PSD iniciou esta segunda-feira uma semana no distrito de Lisboa, no âmbito do programa Sentir Portugal. Luis Montenegro é recebido amanhã pelo Presidente da República.

A+ / A-

O líder do PSD vai estar na próxima terça-feira na sessão de boas-vindas ao presidente Lula da Silva e na sessão do 25 de abril na Assembleia da República.

Em declarações aos jornalistas esta segunda-feira, no Rossio, em Lisboa, Luís Montenegro disse que o PSD tem profundas divergências com a posição do presidente brasileiro face á guerra na Ucrânia, mas garante que é preciso fazer uma distinção. Sem nunca citar os nomes dos dois partidos, Montenegro aponta a Chega e IL ao acusar quem não consegue distinguir as posições de Lula da relação com Brasil de não estar á altura de assumir cargos no país.

“Temos uma divergência profunda, elementar do ponto de vista dos princípios. Isso não significa que desrespeitemos o povo brasileiro que o Presidente do Brasil representa. E mais: não nos podemos esquecer das centenas de milhares de portugueses que vivem no Brasil e de brasileiros em Portugal, somos países com uma cultura e uma história comuns e com uma ligação muito forte diariamente”, frisou.

"Aqueles que não têm capacidade de ver isto não estão à altura de assumir cargos de responsabilidade na democracia portuguesa”, afirmou Luis Montenegro, numa alusã ao Chega e à Iniciativa Liberal.

O líder do PSD voltou a sublinhar que há divergências com a posição do Presidente brasileiro sobre a guerra na Ucrânia.

“Relativamente à posição do Presidente Lula da Silva e da política externa do Brasil no que toca à guerra da Ucrânia, há uma fronteira que nos separa completamente: nós não temos nenhuma complacência nem nenhuma condescendência com a agressão da Rússia à Ucrânia. Isso deve ficar muito claro, quer do ponto de vista do nosso partido, quer do ponto de vista da relação do Estado português com o Presidente do Brasil”, afirmou Luis Montenegro.

O líder do PSD iniciou esta manhã uma semana pelo distrito de lisboa, apanhou o comboio ás 7h53 no Cacém, fez a viagem até ao Rossio de pé, mas sem grandes percalços.

Em declarações aos jornalistas já em Lisboa ao lado de Carlos Moedas, Montenegro foi questionado sobre a linha vermelha com o CHEGA. Mas não acrescentou mais nada e apesar da insistência dos jornalistas repetiu sempre as mesmas palavras.

“Eu acho que não é preciso adiantar nem acrescentar mais nada ao que disse, eu não quero, não vou, não é preciso acrescentar nada”, afirmou várias vezes.

Esta semana Luis Montenegro vai visitar mercados, centros de saúde, mas amanhã tem audiência com o presidente da república. O líder do PSD garante que vai fazer a analise na situação política, económica e social do país.

“Estou concentradíssimo e focadíssimo em combater o PS e mostrar que há uma linha de rumo mais indutora de esperança, de crescimento. Não tenho mais nada a acrescentar, senão repetir aos portugueses que o PSD está dia a dia a palmilhar o território nacional e a falar com as pessoas de todas as condições para ouvir os seus problemas e construir soluções de futuro”, garantiu o líder do PSD.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • EU
    17 abr, 2023 PORTUGAL 10:45
    Meu caro " COMPANHEIRO ", qualquer democrata e principalmente humanista, não pode concordar com a AGRESSÃO russa à Ucrânia. Lula da Silva NÃO CONDENOU a agressão, pelo contrário. Se AQUI condenamos o PCP, por não ser peixe de água doce ou salgada, também LULA tem de levar um " CORRRETIVO ". Não se trata de ser responsável ou irresponsável. Eu e MUITOS soubemos os efeitos NEGATIVOS de uma guerra. Já são passados CINQUENTA ANOS e se preciso for, LOCALIZO-LHE os locais de SUSTO. Boa semana.

Destaques V+