A+ / A-

TAP. Costa afirma que quer "toda a verdade doa a quem doer"

04 abr, 2023 - 14:25 • Lusa

"Apure-se a verdade, o país nunca fica pior sabendo-se a verdade", acentuou o líder do executivo.

A+ / A-

O primeiro-ministro afirmou esta terça-feira que quer "toda a verdade e doa a quem doer" na comissão parlamentar de inquérito sobre a gestão da TAP, alegando que o país fica sempre melhor quando sabe a verdade.

António Costa falava aos jornalistas no Palácio Foz, em Lisboa, numa sessão destinada a assinalar o fim do processo legislativo da nova lei que permitirá às instituições de Ensino Superior Politécnico atribuírem graus de doutoramento.

Interrogado se o Governo está preocupado com o que hoje dirá a presidente executiva demissionária da TAP, Christine Ourmières-Widener, na comissão parlamentar de inquérito, e também sobre o facto de o líder do PSD, Luís Montenegro, ter acusado o direito financeiro desta empresa, Gonçalo Pires, de ter mentido na Assembleia da República, o primeiro-ministro respondeu: "Para que não fique qualquer dúvida, nunca estou preocupado quando se trata de apurar a verdade".

"Apure-se a verdade, o país nunca fica pior sabendo-se a verdade", acentuou o líder do executivo.

António Costa frisou depois que o país, pelo contrário, "fica sempre melhor seja a verdade qual seja e doa a quem doer".

Perante a insistência dos jornalistas no tema da TAP e sobre as consequências que o desfecho da comissão de inquérito poderá ter no seu Governo, o primeiro-ministro limitou-se a reafirmar o seguinte princípio: "A verdade nunca nos deve preocupar".

"Para já, não antecipemos os resultados e deixemos quem está a trabalhar, trabalhar, concluir os relatórios. Depois, se houver ilações a tirar, tiram-se ilações", acrescentou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Americo
    05 abr, 2023 Leiria 14:16
    Boa tarde. Como ele não soubesse. É o mentor. É cartaz disto tudo.

Destaques V+