A+ / A-

"Habituem-se". António Costa acusa revista Visão de descontextualizar expressão

29 jan, 2023 - 23:37 • Diogo Camilo

“Há semanas que pago com o silêncio o penoso castigo de ter confiado na Visão”, escreveu o primeiro-ministro numa carta enviada ao Correio do Leitor da publicação.

A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, acusa a revista Visão de descontextualizar a expressão “habituem-se”, que utilizou durante uma entrevista em dezembro.

Num direito de resposta no Correio do Leitor, Costa refere-se ao editorial da passada semana, escrito pela diretora da publicação, Mafalda Anjos, indicando que a frase foi “retirada do contexto”.

“Não se tratou de uma expressão de qualquer arrogância da minha parte, como a gravação do vídeo comprova, e, muito menos, não é a síntese das minhas declarações. Foi ‘apenas’ o título escolhido para esconder a entrevista”, diz, depois de ter sido acusado de “altivez”.

Na carta, Costa indica que a pose foi encenada e que lhe foi pedido que ficasse de lado com a perna cruzada e lamenta que leitores tenham passado a acreditar “no perfil de arrogância” associado.

“Há semanas que pago com o silêncio o penoso castigo de ter confiado na Visão”, acrescenta.

Em reação, a Visão recusa as acusações de descontextualização e de encenação da fotografia de capa, indicando que Costa posou “de forma voluntária” e que a opinião da sua diretora é “livre”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+