Tempo
|
A+ / A-

Operação Tutti Frutti. Diretor da PJ confirma "investigações a vários mandatos"

24 jan, 2023 - 19:01 • Susana Madureira Martins com Redação

O representante da PJ indica que os factos em questão não estão relacionados com os mandatos de António Costa, na época en que era o autarca da capital portuguesa.

A+ / A-

O diretor nacional da Polícia Judiciária (PJ) confirma a investigação "a vários mandatos", em declarações aos jornalistas, depois de, nesta terça-feira, terem sido feitas novas buscas na Câmara Municipal de Lisboa.

Luís Neves refere que "era necessário encontrar cirurgicamente um documento específico", relacionados com factos que estão em investigação.

O representante da PJ indica que os factos em questão não estão relacionados com os mandatos de António Costa, na época en que era o autarca da capital portuguesa.

"Tem a ver com factos que estão em investigação, mais antigos [do que o mandato de Fernando Medina]. Não tem de ser mandatos do A, do B, ou do C. Há outras personagens que podem estar a ser investigados ou que podem ser importantes para a investigação".

De acordo com a CNN Portugal, os inspetores procuraram atas de reuniões da câmara relacionadas com processos urbanísticos apresentados pelo ex-vereador do Urbanismo Manuel Salgado, durante a presidência de Fernando Medina.

A Renascença sabe que os inspetores da PJ estiveram ao final da manhã no departamento jurídico da Assembleia Municipal, onde normalmente se centralizam os contratos de assessoria, como o que foi celebrado com Joaquim Morão, já constituído arguido. As buscas duraram toda a manhã, mas já terminaram.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+