A+ / A-

Conselho de Estado analisou alargamento e "inevitável conexão" com reformas na UE

13 dez, 2022 - 14:51

Em causa está a adesão à União Europeia de seis países da região dos Bbalcãs, nomeadamente Albânia, Bósnia-Herzegovina, Macedónia do Norte, Montenegro, Kosovo e Sérvia.

A+ / A-

O Conselho de Estado, reunido hoje em Cascais, começou a analisar o processo de alargamento da União Europeia, que considera ter uma "inevitável conexão" com reformas de âmbito financeiro e económico.

Esta informação consta de uma nota divulgada pela Presidência da República cerca de meia hora após o fim da reunião.

"O Conselho de Estado, reunido sob a presidência de sua excelência o Presidente da República, hoje, dia 13 de dezembro de 2022, no Palácio da Cidadela de Cascais, começou a analisar o processo de alargamento e a sua inevitável conexão com o processo de reformas financeira e económica na União Europeia", lê-se na nota.

Em causa está a adesão à União Europeia de seis países da região dos balcãs, nomeadamente Albânia, Bósnia-Herzegovina, Macedónia do Norte, Montenegro, Kosovo e Sérvia.

Recorde-se que, na semana passada, os líderes da União Europeia apelaram à aceleração do processo de adesão dos Balcãs ao bloco comunitário, numa declaração assinada em Tirana, na qual garantem "empenho total e inequívoco" ao alargamento aos países balcânicos, mediante "reformas credíveis".


Esta é a 27.ª reunião do Conselho de Estado convocada por Marcelo Rebelo de Sousa.

Presidido pelo Presidente da República, o Conselho de Estado tem como membros por inerência os titulares dos cargos de presidente da Assembleia da República, primeiro-ministro, presidente do Tribunal Constitucional, provedor de Justiça, presidentes dos governos regionais e antigos presidentes da República.

Nos termos da Constituição, integra ainda cinco cidadãos designados pelo chefe de Estado, pelo período correspondente à duração do seu mandato, e cinco eleitos pela Assembleia da República, de harmonia com o princípio da representação proporcional, pelo período correspondente à duração da legislatura.

A reunião do Conselho de Estado teve início cerca das 10:50 e terminou pelas 13:55, com quatro ausências, do presidente do Tribunal Constitucional, João Caupers, da provedora de Justiça, Maria Lúcia Amaral, do presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, e da conselheira Leonor Beleza, segundo fonte da Presidência da República.

O único ponto na ordem de trabalhos era "União Europeia: processo de alargamento e processo de reformas financeira e económica".

A guerra na Ucrânia, provocada pela invasão russa em 24 de fevereiro deste ano, reativou a discussão sobre o alargamento da União Europeia.
No fim de novembro, o primeiro-ministro considerou que, "com a atual estrutura institucional, com a atual arquitetura orçamental, a União Europeia não tem condições para cumprir as expectativas que agora está a criar" à Ucrânia e a outros países que anteriormente solicitaram adesão.
António Costa defendeu que, "se estas expectativas não foram uma mera declaração política simpática de ocasião, a União Europeia tem de se reestruturar profundamente, isto se não quiser implodir por força das novas adesões".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+