Tempo
|
A+ / A-

António Costa demite dois secretários de Estado a pedido do ministro da Economia

29 nov, 2022 - 14:45 • Susana Madureira Martins com Redação

João Neves, secretário de Estado da Economia, e Rita Marques, secretária de Estado do Turismo, entraram em divergência com o ministro Costa Silva por causa da redução de IRC para as empresas.

A+ / A-

O secretário de Estado da Economia, João Neves, e a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, estão de saída do Governo.

Os dois elementos da equipa de António Costa Silva entraram em divergência com o ministro, que pediu ao primeiro-mnistro, António Costa, que os afastasse.

A informação foi confirmada à Renascença por fontes do Partido Socialista, que sublinharam que a iniciativa das demissões partiu do ministro da Economia. Isto já depois de o Jornal de Negócios ter anunciado a saída de João Neves.

Na origem das demissões está a divergência publicamente manifestada pelos dois agora ex-secretários de Estado relativamente a uma descida transversal do IRC, defendida em Setembro por António Costa Silva.

Na altura, João Neves afirmou que “dizer que vamos agir em IRC para resolver um problema de curtíssimo prazo é um erro”. Antes, António Costa e Silva defendera que “hoje, face à crise que temos, seria extremamente benéfico termos essa redução transversal [de IRC]”.

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, sobre o tema disse que “estas matérias são discutidas de forma colectiva, em sede própria, no Conselho de Ministros".

"O senhor primeiro-ministro há-de ter a última palavra, aliás, tem a primeira, a última, sempre. E, portanto, cá estaremos para trabalhar em função das orientações que recebermos do senhor primeiro-ministro", acrescentou.

João Neves tinha sido secretário de Estado Adjunto e da Economia no último Governo e secretário de Estado da Economia no anterior, entre 2018 e 2019.

Antes disso tinha sido administrador da empresa Bial, chefe de gabinete do ministro da Economia e da Inovação, entre 2005 e 2007, e diretor-geral da empresa do Ministério da Economia, em 2004 e 2005.

Este sábado, foi noticiado que Rita Marques foi acusada de "usurpação de poderes" num conflito entre a empresa Pauta de Flores e o clube de futebol Salgueiros, devido ao fim do consórcio que explorava a concessão do Bingo da Trindade, no Porto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+