Tempo
|
A+ / A-

Notícia Renascença

António Costa disponível para responder às 12 perguntas do PSD sobre Banif e Isabel dos Santos

23 nov, 2022 - 23:15 • Redação

Em causa estão as declarações do ex-governador do Banco de Portugal sobre a venda do Banif e sobre a alegada pressão para manter Isabel dos Santos na administração do BIC. PS fala de cabala e acusa o PSD de pretender "reescrever a história".

A+ / A-

O primeiro-ministro vai responder às 12 perguntas do PSD sobre o Banif e a alegada interferência na banca para proteger a empresária angolana, Isabel dos Santos.

A informação foi apurada pela Renascença, depois de, por várias vezes, António Costa ter insistido que são falsas as alegações do ex-governador do Banco de Portugal.

No livro ‘O Governador’, recentemente publicado, Carlos Costa acusa o chefe do Governo de ter enviado uma carta a Bruxelas durante o processo de venda do Banif e o então ministro Mário Centeno de ter negociado com o Santander, em ambos os casos sem o seu conhecimento.

Já no caso de Isabel dos Santos, o ex-governador fala de pressão por parte do primeiro-ministro para que a empresária angolana não fosse afastada da administração do BIC.

Segundo Carlos Costa, o primeiro-ministro ter-lhe-á dito que "não se podia tratar mal a filha do presidente de um país amigo", afirmação que António Costa nega ter produzido.

O primeiro-ministro mostra-se, assim, disponível para responder às questões que ambas as polémicas suscitaram no PSD.

Na bancada parlamentar socialista, Eurico Brilhante Dias acusa os sociais-democratas de “uma nova frente de combate” contra os socialistas, acrescentando que o maior partido da oposição pretende “reescrever a história”, precisamente numa altura em que decorre o debate do Orçamento do Estado na especialidade.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+