Tempo
|
A+ / A-

MNE diz que presença de altas figuras do Estado no Qatar apenas representa apoio à seleção

22 nov, 2022 - 15:13 • Lusa

"Presidente da República, Primeiro-Ministro e Presidente da Assembleia da República vão simbolizar todo o apoio da nação portuguesa à nossa equipa de futebol", diz ministro Gomes Cravinho.

A+ / A-

O ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, defendeu esta terça-feira que a ida de altas figuras do Estado ao Qatar representa o apoio da nação à seleção de futebol, nada tendo a ver com as relações com esse país.

Numa conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo dos Países Baixos, o ministro referiu que há preocupações em matéria de direitos humanos no Qatar, que as pessoas estão preocupadas com o tratamento da comunidade LGBT e em relação ao tratamento dos trabalhadores migrantes.

"Esperamos que, colocando os holofotes sobre estas questões, seja também um incentivo para que o Qatar se debruce sobre estes problemas", referiu o ministro questionado sobre o tema e após a aprovação pelo Parlamento da ida do Presidente da República, Marcelo Revelo de Sousa, ao Qatar.

"Quanto aos nossos representantes, Presidente da República, Primeiro-Ministro, Presidente da Assembleia da República, vão simbolizar todo o apoio da nação portuguesa à nossa equipa de futebol", adiantou.

"Não vão participar em discussões com o Qatar. Não é esse o objetivo. Portanto, não tem qualquer relação com as nossas relações com o Qatar", disse Gomes Cravinho.

O ministro dos Países Baixos, Wopke Hoekstra, disse que tem funcionado muitos países envolverem-se em conversações sobre o tema e que "o que é importante é continuar a manter o diálogo".

"Havia preocupações significativas sobre a situação em que as pessoas trabalhavam nos estádios, mas também de forma mais ampla. Essa foi uma razão pela qual muitos de nós, incluindo os Países Baixos, nos envolvemos nestas conversações para ver o que poderíamos fazer para melhorar isto", adiantou.

"Tem funcionado (...) É claro que não reparámos a situação ao nível que gostaríamos, mas conseguiu trazer melhorias e isso mostra-nos que temos de continuar a empenhar-nos neste tema", defendeu.

Sobre a delegação dos Países Baixos, Hoekstra adiantou que o ministro do Desporto vai estar num dos próximos jogos da fase de grupos e, a partir daí, o Governo voltará a analisar "o que poderá ser uma delegação adequada".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+