Tempo
|
A+ / A-

António Costa. "É preciso acabar com os professores com a "casa às costas"

19 nov, 2022 - 15:31 • Lusa

Na Covilhã para o XX Congresso Federativo do PS Castelo Branco, o líder dos socialistas mostrou-se confiante em chegar a acordo com sindicatos.

A+ / A-

O secretário-geral do PS, António Costa, defendeu este sábado que é preciso acabar com a situação dos professores com a "casa às costas" e mostrou-se confiante num acordo com os sindicatos do setor.

"Esperamos chegar a acordo com os sindicatos para que seja possível acabar, de uma vez por todas, com dos professores com a "casa às costas" e que possam, assim que sejam contratados, vincular-se na escola onde estão e só saírem de lá se um dia o desejarem", disse.

António Costa falava na Covilhã, no XX Congresso Federativo do PS Castelo Branco, numa intervenção que foi acompanhada via "online" nos congressos federativos socialistas de outras regiões, que também estão a decorrer este sábado.

Durante a sessão, o líder socialista e primeiro-ministro reiterou o compromisso com a execução de "reformas estruturais" e apontou a questão da escola pública, destacando a situação dos professores e a necessidade de mudar o modelo de vinculação.

Costa lembrou que já foi aberto um processo de negociação sindical para alteração do modelo de vinculação dos professores e assumiu que "não há nenhuma razão" para que esta seja "a única carreira em todo o Estado" que tem de se apresentar a concurso de três em três anos.

António Costa reconheceu o problema que representa para os professores não saberem se vão ficar perto ou longe de casa e se vão ter de andar com a "casa às costas", "sem saber onde é que se podem vincular".

"Não há nenhuma razão para que isto aconteça", vincou.

Apontando que a estabilidade do corpo docente reforça a qualidade da educação, destacou que este é um ganho fundamental que tem que se conseguir.

António Costa garantiu ainda que o reforço do Serviço Nacional de Saúde (SNS) também é para manter e frisou que é necessário "melhorar a eficiência da gestão", tendo vincado que a criação da Direção Executiva do SNS é fundamental para conseguir essa melhoria.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Revoltado
    19 nov, 2022 E roubado 20:24
    Maldito aldrúbias! Foi o teu partido e a tua Lurdinhas que criaram os problemas que os professores têm hoje, desde uma pretensa reorganização da carreira que só significou os professores recuarem 3 escalões de onde estavam, impedido assim o acesso ao topo da carreira por via artificial, até ao congelamento das progressões por mais que uma década, as quotas de progressão nos acessos aos 5.º e 7.º escalões, as "atividades não letivas" que são aproveitadas pelos capatazes de serviço vulgo Diretores, para trabalhos burocráticos e administrativos, quando não verdadeiramente letivos, um ECD terrorista, um estatuto do aluno que é um convite à indisciplina, uma "avaliação" que é uma fraude... E agora vem este tipo falar que é preciso acabar com os "professores com a casa as costas" e vai fazê-lo, fazendo com que os capatazes, vulgo diretores, sejam eles a "escolher" os professores - ou seja, a mulher, o filho, o enteado, o cão, o gato o periquito e o canário, já têm lugar. Não há melhor que esta m***a para comandar os destinos do País?

Destaques V+