Tempo
|
A+ / A-

Mariana Vieira da Silva. Taxa sobre os lucros excessivos só deverá avançar "nos próximos meses"

25 out, 2022 - 00:09 • Redação

Ministra da Presidência lembra que está em curso "um debate a nível europeu sobre a criação de uma taxa. Portugal disse desde a primeira hora que apoiava a medida e que também a aplicaria; a nossa expectativa é que ela possa ser aprovada nos próximos meses, assim que esse acordo a nível europeu esteja fechado".

A+ / A-

A taxa sobre os lucros excessivos deverá avançar nos próximos meses, admitiu esta segunda-feira a ministra da Presidência.

Questionada pela CNN Portugal sobre o lucro extraordinário de 608 milhões de euros da Galp, Mariana Vieira da Silva admitiu que Portugal irá adotar essa medida, assim que o acordo europeu esteja fechado.

A ministra da Presidência explica que "existe um debate a ser concretizado a nível europeu sobre a criação de uma taxa. Portugal disse desde a primeira hora que apoiava a medida e que também a aplicaria; a nossa expectativa é que ela possa ser aprovada nos próximos meses, assim que esse acordo a nível europeu esteja fechado".

Contudo, Mariana Vieira da Silva lembra que "a generalidade das medidas que já temos em vigor, nomeadamente o número elevado de pessoas que passaram para o mercado regulado do gás e da eletricidade, são medidas financiadas precisamente com os resultados destas empresas, diretamente para apoiar os consumidores".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • JM
    25 out, 2022 Seixal 14:53
    Andam por ai alguns “democratas”, nas tv`s, muito preocupados com a taxa sobre os lucros extraordinários. Dizem que a Galp não deve ser taxada nos lucros perversos que tem, porque já paga uma taxa adicional – Contribuição Extraordinária sobre o setor energético - mas esquecem-se sempre de dizer, tanto eles como os jornalistas que os entrevistam, que a Galp também tem uma isenção fiscal de 500 milhões de euros/ano.
  • Petervlg
    25 out, 2022 Trofa 07:05
    Isto de deixar arrastar para a frente, é para as empresas fazerem a sua "cosmética contabilística" para não declarar tantos lucros. Obrigado, PS.

Destaques V+