A+ / A-

PSD subscreve alertas de Cavaco e critica Costa

30 set, 2022 - 13:08 • Teresa Paula Costa

Líder parlamentar dos social-democratas diz que antigo Presidente da República é claro sobre a descoordenação do Governo. Miranda Sarmento pede ao Governo mais apoio para a classe média.

A+ / A-

O líder parlamentar do PSD disse esta manhã aos jornalistas, no Parlamento, que o artigo do ex-Presidente da República Cavaco Silva, na edição do Público desta sexta-feira, é "muito importante" e faz alertas importantes sobre o rumo económico do país.

Joaquim Miranda Sarmento referiu ainda que Cavaco Silva é claro sobre a descoordenação do Governo em diversas áreas.

"O professor Cavaco Silva volta a fazer um alerta que é preciso que o Governo tome reformas estruturais para aumentar a competitividade e a produtividade da economia portuguesa", disse Miranda Sarmento.

Cavaco Silva, "tendo em conta aquilo que foram estes seis meses de Governo", lança também "alertas que é preciso que o Governo se coordene, que o Governo assuma um rumo e que o Governo inicie uma governação sem casos, sem desgovernação e com uma orientação política bem definida para os próximos anos", sublinha.

Segundo o líder parlamentar social-democrata, os próximos anos serão "muito difíceis e exigentes" e precisam de "uma condução da política do Governo totalmente diferente daquilo que foram os últimos seis meses".

No artigo, Cavaco Silva defende que o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, já devia ter sido demitido após o episódio do despacho revogado sobre o aeroporto.

O líder parlamentar do PSD não vai tão longe e diz que essa é uma decisão da competência do primeiro-ministro. Para Miranda Sarmento, "ele enumerou um conjunto de exemplos para demonstrar o que tem sido a falta de autoridade e a falta de orientação do primeiro-ministro".

Costa está a falhar na coordenação

Defendendo que "a condução do Governo e a condução da política pertencem ao primeiro ministro", o líder parlamentar social-democrata considerou que "quem está a faltar na autoridade e quem está a faltar no rumo e na coordenação é o senhor primeiro ministro."

Nestas declarações aos jornalistas no Parlamento, Joaquim Miranda Sarmento reagiu ainda aos dados do INE que dão conta de uma subida da inflação para os 9,3%,

O líder parlamentar do PSD apela ao governo para que apoie as famílias de menores rendimentos e a classe média.

Governo deve apoiar classe média

"O INE fez a sua divulgação da estimativa rápida da inflação, no valor de 9,3", o que "foi uma aceleração face ao mês anterior de 8,9" e significa que, "nós continuamos a ter um problema grave de inflação, para o qual o PSD vem alertando desde o início do ano e muito antes até do início da guerra da Ucrânia".

Por isso, "é importante que o Governo use os instrumentos que tem para apoiar, por um lado, as famílias de menores rendimentos, mas também a classe média".

"As famílias estão com uma dupla tenaz", considerou Sarmento, que apontou "a inflação, com um aumento do preço dos bens e serviços" e, por outro lado, "a subida das taxas de juro e a subida das prestações dos créditos à habitação."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+