Tempo
|
A+ / A-

Manuel Pizarro é o novo ministro da Saúde

09 set, 2022 - 16:11 • Ricardo Vieira e Susana Madureira Martins

Tomada de posse está marcada para sábado, às 18h00, no Palácio de Belém.

A+ / A-

Manuel Pizarro é o novo ministro da Saúde, anunciou esta sexta-feira a Presidência da República. O médico e eurodeputado vai suceder a Marta Temido.

"Na sequência da proposta do Primeiro-Ministro, o Presidente da República conferirá posse amanhã, sábado 10/9, ao novo Ministro da Saúde, Dr. Manuel Francisco Pizarro de Sampaio e Castro, pelas 18h00, no Palácio de Belém", refere uma nota do gabinete de Marcelo Rebelo de Sousa.

Manuel Pizarro foi secretário de Estado da Saúde nos governos de José Sócrates.

O novo ministro da Saúde era até agora eurodeputado, coordenador dos socialistas em Bruxelas e chegou a ser candidato à Câmara do Porto.

Fontes socialistas revelaram hoje à Renascença que a Federação Distrital do Porto estava "a fazer muita pressão" junto de António Costa para que Manuel Pizarro fosse o nome escolhido para suceder a Marta Temido à frente do Ministério da Saúde.

Manuel Pizarro nasceu em 1964 e morou sempre no Porto. É médico especialista em medicina interna; eurodeputado; presidente dos socialistas portugueses no Parlamento Europeu; presidente da Federação Distrital do Porto do PS e alto-comissário da Convenção Nacional de Saúde.

O novo ministro da Saúde tem defendido “uma verdadeira União Europeia da Saúde e tem atuado no sentido de serem estabelecidos mecanismos que generalizem boas práticas a todos os países e cidadãos europeus”, refere o site oficial de Manuel Pizarro.

“Dos vários dossiês em que tem trabalhado podem destacar-se o estabelecimento de um novo Plano de Ação contra a Infeção VIH/SIDA e as Hepatites B e C, a criação de um mecanismo europeu que facilite o acesso a medicamentos inovadores e a melhoria de sistemas de diagnóstico precoce de doenças raras”, segundo a mesma fonte.

Manuel Pizarro vai iniciar funções com a nova direção executiva do Serviço Nacional de Saúde (SNS) aprovada, naquele que foi o último ato da ministra demissionária Marta Temido.

A criação de uma direção executiva do Serviço Nacional de Saúde, prevista no estatuto do SNS, tem como objetivo reforçar o papel de coordenação operacional das respostas assistenciais.

“A direção executiva do SNS visa responder àquilo que se revelou um papel essencial no combate à pandemia, a necessidade de uma melhor coordenação operacional das respostas assistenciais”, disse Marta Temido. no final do Conselho de Ministros de quinta-feira.

Marta Temido demitiu na madrugada de 30 de agosto, na sequência da morte de uma grávida durante a transferência entre hospitais.


Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Maria
    09 set, 2022 Palmela 16:11
    Sucesso da vacinacao??
  • Maria
    09 set, 2022 Palmela 16:11
    Sucesso da vacinacao??

Destaques V+