A+ / A-

PSD diz que Governo é o "mais desgovernado" dos últimos 20 anos

29 ago, 2022 - 21:29 • Lusa

Hugo Soares considera que "falta autoridade" política a António Costa, relembrando os "episódios" relacionados com a localização do novo aeroporto em Lisboa e o Ministério das Infraestruturas.

A+ / A-

O secretário-geral do PSD, Hugo Soares, considerou hoje que o Governo é o "mais desgovernado" dos últimos 20 anos, tendo ainda criticando que " falta autoridade" política ao primeiro-ministro, António Costa.

"Portugal tem hoje o Governo mais desgovernado dos últimos 20 anos, um Governo sem comando, um governo sem responsabilidade, e é um governo sem senso", disse.

Hugo Soares, que falava na sessão de abertura da 18.ª edição da Universidade de Verão do PSD, que vai decorrer até domingo, em Castelo de Vide (Portalegre), considera que "falta autoridade" política a António Costa, relembrando os "episódios" relacionados com a localização do novo aeroporto em Lisboa e o Ministério das Infraestruturas.

"É um governo sem comando porque, aparentemente, o senhor primeiro-ministro discordou da decisão do senhor ministro [Pedro Nuno Santos], que não é um ministro qualquer, é um dos que se diz que pode suceder ao primeiro-ministro, desautoriza-o e o senhor ministro continua no Governo impávido e sereno, como se nada tivesse acontecido", disse.

Além de criticar a política de contratações feitas pelo ministro das Finanças e a postura de António Costa sobre esta matéria, Hugo Soares disse que este é um Governo "sem responsabilidade", dando como exemplo a relação entre a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes e a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP).

Em causa estão as declarações da ministra no dia 10 de agosto, quando instada pelos jornalistas a responder a críticas dirigidas à tutela pelo secretário-geral da CAP, que disse ser "inexistente" a resposta do Governo para mitigar o impacto da seca no setor da produção e alimentação animal, a ministra devolveu a pergunta.

"É melhor perguntar porque é que durante a campanha eleitoral a própria CAP aconselhou os eleitores a não votar no Partido Socialista", retorquiu.

Para Hugo Soares, trata-se de um Governo "gasto" e "sem responsabilidades", porque destas afirmações da governante "ninguém tirou nenhuma responsabilidade" política.

O secretário-geral do PSD acusou ainda o Governo de "falta de responsabilidade" nos setores da Saúde, recordando que a ministra da tutela, Marta Temido, considerou recentemente que os problemas que têm afetado o Serviço Nacional de Saúde são consequência de decisões tomadas "há várias décadas", apontando aos anos 80 do século passado.

"Ela disse isto e ninguém tirou nenhuma responsabilidade", lamentou.

Hugo Soares disse ainda que este é um Governo "sem senso", dando como exemplos as declarações da secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, em relação aos incêndios e à área ardida, e da ministra Maria Vieira da Silva em relação ao futuro da Serra da Estrela após os incêndios florestais.

"Este Governo além de não ter comando, além de não ter responsabilidade e além de não ter senso tem, em muitas matérias, aspetos de imoralidade que o PSD não vai deixar de denunciar", garantiu.

A 18.ª edição da Universidade de Verão do PSD decorre até domingo, numa iniciativa tradicional de "rentrée" dos sociais-democratas que não se realizou em 2020 e 2021 devido à pandemia de covid-19.

O encerramento da Universidade de Verão está marcado para domingo às 12:00, contando com intervenções de Alexandre Poço, Carlos Coelho e Luís Montenegro. .

Este será o segundo momento alto do PSD neste verão, depois de Luís Montenegro ter recuperado a tradicional Festa do Pontal, a meio de agosto, em Quarteira, e na qual compareceu o antigo líder do partido Pedro Passos Coelho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+