Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Judeus sefarditas. PS quer acabar com "negócio" com Lei da Nacionalidade

23 jun, 2022 - 16:34 • Manuela Pires

Parlamento debate esta quinta-feira projetos-lei sobre a Lei da Nacionalidade. PS considera-a “bondosa” e diz querer acabar com abusos como o do caso do oligarca russo Abramovich.

A+ / A-

O Partido Socialista quer continuar a discutir na especialidade as alterações à Lei da Nacionalidade, principalmente em relação aos descendentes de judeus sefarditas.

Nesta tarde de quinta-feira, o parlamento debate oito projetos-lei, sendo que um deles, o do PCP, prevê acabar com a regra de concessão da cidadania portuguesa "por mero efeito da descendência de judeus sefarditas".

O líder da bancada parlamentar do PS, Eurico Brilhante Dias, diz que é preciso travar o negócio que aconteceu, por exemplo, no Porto.

No final da reunião do grupo parlamentar socialista, Eurico Brilhante Dias disse que “o que tem acontecido em Portugal, um autêntico negócio que tem sido feito, e em particular, no Porto em torno da lei da nacionalidade”, é “um fenómeno que vamos combater, em particular numa discussão profunda na especialidade, que permita que esse regime não possa ser utilizado de forma abusiva”.

Defendendo tratar-se de uma lei “bondosa” e de ‘reparação’, Eurico Brilhante Dias não quis adiantar que alterações defende, mas garantiu ser possível fazê-las e “pôr um ponto final a situações passadas”.

O deputado mencionou “a atribuição da nacionalidade ao oligarca russo Roman Abramovich, ex-dono do Chelsea FC”.

Considerando que “reparação histórica é relevante e importante”, Brilhante Dias argumentou que “transformar este passo positivo, que procura fazer reparação, num negócio da nacionalidade é algo que nós não estamos disponíveis” para fazer, e “na especialidade iremos discutir o tema e aprofundá-lo.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+