Tempo
|
A+ / A-

Marcelo assinala que primeiro-ministro reconheceu situação grave e problemas estruturais no SNS

15 jun, 2022 - 22:55 • Lusa

O Presidente da República identificou, por um lado, uma "situação estrutural" e, por outro, um "problema conjuntural, quer dizer, neste período de dois fins de semana longos".

A+ / A-

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assinalou esta quarta-feira que o primeiro-ministro, António Costa, reconheceu que há uma situação grave e problemas estruturais em serviços hospitalares do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Em declarações aos jornalistas, à entrada para o Teatro Politeama, em Lisboa, após a conferência de imprensa da ministra da Saúde, Marta Temido, o chefe de Estado reiterou que aquilo que espera é que haja "uma prevenção relativamente ao que possa acontecer a partir do começo de julho e até ao final do verão" nos serviços públicos hospitalares.

Questionado uma vez mais sobre o encerramento de serviços de urgência de obstetrícia e ginecologia nos últimos dias, Marcelo Rebelo de Sousa começou por responder que já teve oportunidade de falar deste assunto.

"Hoje mesmo o senhor primeiro-ministro reconheceu que é uma situação muito grave, que é uma situação estrutural. Estrutural precisa, portanto, de mexidas estruturais", realçou, em seguida.

Como o primeiro-ministro, António Costa, também o Presidente da República identificou, por um lado, uma "situação estrutural" e, por outro, um "problema conjuntural, quer dizer, neste período de dois fins de semana longos".

Marcelo Rebelo de Sousa voltou a pedir que se evite a repetição durante o verão daquilo que aconteceu nestes dias: "Aquilo que eu espero, depois de ter ouvido a senhora ministra da Saúde, é que haja uma previsão e uma preparação e uma prevenção".

No Teatro Politeama o chefe de Estado foi assistir à estreia do musical "Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos", de Filipe La Féria.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Rute
    16 jun, 2022 Lisboa 21:04
    Mais uma vez, o presidente é o advogado de defesa do costa...em vez de exigir soluções (é o que esperam os Portuguese) desculpabiliza o governo...pelo aspecto devia ser ministro e não presidente....lamentável e triste....

Destaques V+